Elyse Fitzpatrick e Carol Cornish (edit). Mulheres ajudando mulheres

Fitzpatrick resenha_postResenha por Kim Shay

Como mulheres cristãs, é inevitável que em algum momento precisemos aconselhar outra mulher. Seja em um ambiente formal ou informal, na família ou entre amigas, as mulheres precisam estar preparadas para responder a perguntas e aconselhar de forma bíblica. Queremos evitar distribuir chavões ou, pior ainda, conselhos errados. Mulheres Ajudando Mulheres: para os principais problemas enfrentados pelas mulheres é uma ferramenta valiosa nesse processo. As editoras, Elyse Fitzpatrick e Carol Cornish, fornecem ferramentas que ajudam as mulheres a aconselhar outras mulheres para que elas vivam de forma abundante em Cristo.

Mulheres Ajudando Mulheres está organizado em duas partes. A primeira parte estabelece a base para o modelo bíblico de aconselhamento e, especificamente, a necessidade de que mulheres aconselhem mulheres. A segunda parte oferece orientação no que diz respeito a uma série de situações potenciais de aconselhamento. Conquanto o livro possa ser usado como um material de referência em vez de ser lido do começo ao fim, a primeira parte é crucial, uma vez que estabelece a diferença entre o aconselhamento bíblico e o aconselhamento secular. Elyse Fitzpatrick inicia essa seção enfatizando que o aconselhamento bíblico fundamenta-se em visão, fé e esperança. Ela lembra ao leitor que o aconselhamento bíblico, obviamente, começa com a Bíblia:

As autoras deste livro acreditam na filosofia e nos métodos de aconselhamento bíblico. Ou seja, creem que a Bíblia é suficiente para responder a cada problema e satisfazer cada necessidade que temos como filhas de Deus. p. 5

Os capítulos seguintes derivam desta fundamentação. Um dos imperativos do aconselhamento bíblico é incentivar as mulheres a verem como o pecado afeta suas circunstâncias. Se uma mulher não estiver disposta a aceitar essa possibilidade, ela continuará a lutar com sua situação. Esta abordagem é diferente da abordagem do aconselhamento secular, que muitas vezes direciona o aconselhado a colocar a culpa em suas circunstâncias. Sim, as pessoas pecam contra nós e não podemos ter controle nenhum sobre como os outros nos tratam, mas isso não nos dá a liberdade para pecar em nossas reações. Muitos dos nossos problemas são de nossa própria autoria ou são agravados pelo nosso próprio pecado.

A segunda parte do livro lida com os seguintes cenários de aconselhamento:

  • mães adolescentes solteiras
  • mulheres insatisfeitas por estarem solteiras
  • mulheres após o aborto
  • mulheres em casamentos cristãos problemáticos
  • mulheres casadas com incrédulos
  • mulheres que estejam considerando a adoção
  • mulheres com crianças que têm dificuldades de aprendizado
  • mães de adolescentes rebeldes
  • mulheres divorciadas e mães solteiras
  • mulheres que abusadas na infância
  • mulheres viciadas
  • mulheres com transtornos alimentares
  • mulheres envolvidas em pecados sexuais
  • mulheres no entardecer da vida
  • mulheres que enfrentam a morte

No final, há também um capítulo com questões médicas que as mulheres normalmente levantam. O livro foi escrito por um grupo de mulheres qualificadas e este último capítulo é de autoria de uma médica.

Quer você esteja aconselhando formalmente uma mulher ou conversando com sua filha, este livro oferece orientação preciosa sobre como fazer isso. Cada capítulo incentiva a conselheira a orientar as mulheres para a Palavra de Deus em primeiro lugar. Apreciei as muitas sugestões para que as mulheres memorizem as Escrituras para encher sua mente com pensamentos corretos. Há uma ênfase contínua em substituição de pensamentos errados por pensamentos bíblicos, despindo-se do velho estilo de vida e revestindo-se de uma nova forma de viver.

Tanto à mulher que acabou de ter um aborto quanto àquela que está no entardecer da vida, a conselheira é direcionada a enfatizar que nossa suficiência está em Cristo, não nas nossas circunstâncias nem em nós mesmas. A conselheira não é orientada a lembrar à sua amiga que ela precisa de “autorrealização”, mas a lembrar que ela deve buscar o poder de Cristo.

A conselheira é orientada várias vezes a investir em sua aconselhada, desenvolvendo um relacionamento baseado no amor altruísta. Eu realmente gostei desse lembrete. O aconselhamento envolve entrar em questões pessoais e confrontar em detalhes. Se esperarmos sempre agradecimento ou tapinhas nas costas, não seremos boas conselheiras.

Mulheres Ajudando Mulheres foi escrito em 1997. Ele mereceria uma segunda edição. Elyse Fitzpatrick já escreveu Women Counseling Women: biblical answers to life’s difficult problems em 2010, e existe uma excelente seleção de outros recursos publicados nos últimos quinze anos, mas ainda assim Mulheres Ajudando Mulheres seria altamente beneficiado por uma atualização. Por exemplo, no capítulo sobre a rebeldia da adolescente, uma das leituras recomendadas é Pastoreando o Coração da Criança, por Tedd Tripp. Embora seja um livro excelente, penso que A Idade da Oportunidade, escrito posteriormente por Paul Tripp, seria mais útil nesse contexto. O capítulo sobre as crianças com dificuldades de aprendizado poderia se beneficiar de informações mais recentes sobre condições como ADD / ADHD e síndrome de Asperger. Também sinto falta de um capítulo que trate mais especificamente da ansiedade e da depressão. Todos os cenários discutidos no livro envolvem a questão da ansiedade em circunstâncias específicas, mas muitas mulheres lidam com uma ansiedade generalizada.

Como eu orientaria minha filha se ela viesse me contar sobre suas lutas com a infertilidade? Eu teria uma pista? Como eu aconselharia uma amiga que confidenciasse sua luta com um vício em jogos de azar on-line? Antes de ler este livro, eu não saberia nem por onde começar. Embora Mulheres Ajudando Mulheres não tenha a pretensão de ser um compêndio exaustivo ou um curso de aconselhamento (ele inclui recomendações para as mulheres que querem uma formação complementar), ele dá à mulher as ferramentas para responder a muitas perguntas de forma bíblica e responsável, e edificar outras mulheres para o reino de Deus.

Original em Blogging Theologically

Ficha Técnica

Autor: Elyse Fitzpatrick e Carol Cornish (editoras)
Título:  Mulheres ajudando mulheres: um guia bíblico para os principais problemas enfrentados pelas mulheres
Título original:  Woman helping woman
Editora: CPAD
Páginas: 593
Data de publicação: 2001

Elyse M. Fitzpatrick é autora de vários livros, conferencista e diretora do ministério Mulheres Ajudando Mulheres. É mestre em aconselhamento bíblico pelo Trinity Theological Seminary. She has authored 17 books on daily living and the Christian life. Ela e seu marido Phil são membros da Valley Center Community Church, na Califórnia.

Carol Cornish é doutora em aconselhamento bíblico pelo Biblical Theological Seminary. Ministra cursos de aconselhamento bíblico e possui longa experiência no aconselhamento de mulheres, casais e famílias. Também atua como conselheira em sua igreja local.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s