Usando biografias no aconselhamento bíblico

Joe Keller

Há algo único nas biografias que cativa o nosso coração de maneira distinta de outros gêneros literários. Terminei de ler recentemente For the Glory[1], a biografia de Eric Liddell escrita por Duncan Hamilton. Ela se tornou uma das minhas biografias favoritas de todos os tempos, e tenho desde então compartilhado os insights desse livro que influenciaram meu pensamento e estão começando a moldar minha própria vida. O que as biografias têm de especial que faz com que elas nos atraiam tanto?

Em um só livro, uma biografia inspira, ilustra, desafia e nos confronta. Os leitores de uma biografia como a de Liddell são levados a refletir sobre uma vida que foi focada na eternidade e, por sua vez, a considerar o desenrolar da sua história pessoal de vida. As biografias têm sido usadas por Deus para moldar gerações de líderes e levar Seu povo a explorar ministérios maravilhosos e desafiadores ao redor do mundo. Nem todas as biografias são iguais, mas vários temas comuns unem as expressões únicas e os quadros singulares da história de diferentes pessoas.

Consideremos, então, como uma biografia pode ser útil na caixa de ferramentas do conselheiro para ilustrar princípios bíblicos e atingir o coração daqueles de quem cuidamos.

Buscar a fidelidade a Deus (Gálatas 5.7-10; 1Timóteo 4.12)
É muito provável que aqueles que têm sua biografia escrita não imaginassem que isso fosse acontecer. Eles não viram sua história de vida pela perspectiva final, mas vivenciaram escolhas cotidianas. Há uma beleza na luz que atinge os personagens principais quando as distrações das situações de vida silenciam-se e, então, o destaque fica para o compromisso de terem sido pessoas fiéis à Palavra de Deus mediante uma obediência amorosa a Ele. As biografias nos dão maior percepção, permintindo-nos ver o efeito cumulativo da fidelidade, e encorajam a busca por fidelidade nas pequenas escolhas da nossa vida. A fidelidade é demonstrada por contentamento no presente com a esperança de plenitude no futuro, e nós nos beneficiamos durante a leitura quando vemos a plenitude da obra de Deus na vida dos santos através de cada uma das simples escolhas fiéis que eles fizeram. Foram escolhas baseadas na verdade de que Deus é quem Ele diz ser, e que Ele fará o que Ele diz que fará.

Administrar os dons (1Pedro 4.10, 11; Mateus 25.14-30)
Às vezes, podemos ter certa dificuldade para reconhecer nossos dons. As biografias de cristãos celebram os dons de uma forma que engrandece o Doador e não a dádiva. É encorajador refletir sobre as manifestações diárias de dons espirituais no contexto do povo de Deus num mundo perdido. As biografias podem encorajar as pessoas que aconselhamos a explorarem os seus próprios dons e as oportunidades para servir em  meio às dificuldades que enfrentam.

Muitas cenas biográficas evidenciam a alegria sobrenatural, que traz esperança, daqueles que expressaram seus dons em meio a muitas lutas. Não existe um falso sentimento de humildade que diminui a benção dos dons, mas sim uma expressão ativa dos dons, que traz glória ao Deus que os concedeu. A leitura de biografias pode simultaneamente libertar e desafiar outros para que  explorem e expressem seus dons com alegria, sabendo que nisso está a proclamação da glória de Deus e também alegria pessoal.

Perseverar nas tribulações (Tiago 1.12; Romanos 12:12)
Uma história biográfica cativante não seria completa sem que o personagem principal sofresse em nome do evangelho. A tribulação pode assumir muitas formas, mas alcança o mesmo resultado: o sofrimento produz algo bom na vida do crente.

A esperança e perseverança exemplificadas ao longo das narrativas biográficas não estão enraizadas na força interior da pessoa, mas sim na própria presença do Espírito de Deus. A constância durante a adversidade não é algo natural à pessoa, mas vem sempre de uma expressa dependência em Deus para cumprir a obra em meio a situações adversas. Na maioria dos casos, as circunstâncias da narrativa biográfica não mudam, ou mesmo pioram com o tempo. Diante disso, a capacidade de perseverar na presença de provações não é fortalecida por uma maior independência, mas por uma maior dependência do Deus soberano de forma a agir com base em Suas promessas.

Desenvolver convicções (Filipenses 3.13-15; Lucas 9.23-27)
Há um momento de clareza em cada narrativa no qual os ensinos das Escrituras tornam-se convicções sinceras. Essas convicções bíblicas firmam-se ainda mais ao longo do tempo através do processo de tomada de decisões. A tomada de decisões baseada em convicções torna-se uma bússola para os personagens principais conduzirem sua vida para a glória de Deus a todo tempo. A confiança tem por alicerce a convicção. É fácil ser crítico ao ler os relatos de quando os personagens foram desafiados na tomada de decisões, mas é muito mais proveitoso nós nos colocarmos no lugar de cada um deles e nos perguntarmos o que faríamos naquela situação e quais princípios bíblicos nos trariam a coragem necessária para viver em retidão.

As biografias não só mostram como o personagem principal firmou suas convicções, mas também são um convite à reflexão sobre as nossas próprias convicções e como elas moldam as escolhas que fazemos no dia a dia.

O desenrolar da narrativa biográfica também nos dá a oportunidade de ver como as convicções biblicamente desenvolvidas não só moldaram a vida daquelas pessoas, mas também moldaram aqueles que os rodeavam.

Influenciar para a eternidade (1Coríntios 15.58; 1Tm 4.7-10)
Todos querem que sua vida seja significativa e deixe marcas. As biografias ajudam o leitor a perceber que muitas pessoas nunca chegaram a ver a amplitude da influência que sua vida teve na vida de outros quanto ao Evangelho. A biografia de um cristão apenas relata o compromisso do personagem principal em investir e influenciar, não para ganho pessoal, mas para algo de importância eterna. Esse simples compromisso de viver de forma a exercer uma influência de valor eterno, quando exposto nas páginas de uma biografia, pode ensinar o leitor a concentrar-se em mergulhar no seu ministério, e deixar o fluir do ministério nas mãos do Deus soberano.

As biografias de cristãos testemunham de vidas que não se deixaram distrair pelas tendências da sociedade nem pela opinião de homens, mas que foram impulsionadas por um compromisso de investir os dias terrenos na eternidade. A busca por sucesso não esteve baseada no manual do mundo, mas nos valores contraculturais do Reino. Por isso, ler biografias de cristãos ajuda a revelar nosso coração e treiná-lo para que dê prioridade às coisas que realmente importam, confiando que aqueles que trabalham em nome de Cristo não trabalham em vão.

Perguntas para reflexão
-1- Quais biografias de cristãos influenciaram você?
-2- De que forma elas moldaram sua maneira de viver?


[1]  HAMILTON, Duncan. For the Glory: the untold and inspiring story of Eric Liddell, hero of Chariots of Fire. New York: Penguin Books, 2016.


Joe Keller dá aulas no departamento de Aconselhamento Bíblico em The Master’s University. Completou sua formação em The Master’s University e, em seguida, o mestrado em divindade no The Master’s Seminary e o doutorado em ministério no Westminster Theological Seminary.


Original: Storytellers
Artigo publicado pela Biblical Counseling Coalition
Tradução: Ana Clara Milani Eugênio
Revisão e adapção: Conexão Conselho Bíblico
Usado com permissão.