Série Amizade #9: A amizade requer vulnerabilidade e transparência

Joshua Greiner

Em posts anteriores, comparamos a amizade ao preparo de um bolo, que requer ingredientes essenciais para que cresça e fique com um bom sabor. As nossas amizades também requerem ingredientes essenciais para crescer e ter um impacto positivo duradouro. Chegamos agora ao último, mas não por isso menos importante, “ingrediente” necessário para uma amizade duradoura: a vulnerabilidade e transparência. Qualquer pessoa que queira manter  boas amizades sabe o quanto é difícil ser vulnerável e transparente. Vamos explorar alguns das razões dessa dificuldade e o que pode ser feito para superá-la. Em seguida, veremos qual o resultado quando garantimos que a vulnerabilidade e a transparência estejam presentes no relacionamento.

A vulnerabilidade não é segura
Se você abrir seu coração para outra pessoa, correrá um risco enorme, e não há como contornar isso. Quando você escolhe ser vulnerável, compartilhando uma luta contra o pecado ou algo que aconteceu no seu passado, ou então parando de proteger algo que vem guardando por bom tempo, você corre o risco de viver uma experiência decepcionante ou mesmo devastadora. Você espera que a outra pessoa não o machuque, mas não pode ter certeza do que acontecerá. Todos nós já lidamos vária vezes com situações em que abrimos nosso coração para outra pessoa apenas para que, em troca, ela nos ferisse.

A vulnerabilidade não é natural
Outro aspecto da vulnerabilidade é que, desde o Eden, ela não é natural para nós. Desde que Adão e Eva escolheram pecar, o homem procura encobrir o que é vergonhoso. Enraizamos profundamente em nós o desejo de cobrir e proteger aquilo que consideramos seu uma “informação sensível” e que pode nos causar dor e mágoa se for compartilhada. Todos os amigos precisam compreender que, embora essa seja uma tendência natural, ela precisa ser abandonada.

Coloque sua fé em Cristo, não em você mesmo
Como fazer isso? Como superar o desejo natural de se proteger e estar disposto a se colocar em uma posição vulnerável? É possível fazer isso colocando sua confiança em Jesus, não em seus amigos. Quando você confia que Ele cuida de você e o protege, você fica livre para amar sem se preocupar com ser magoado. Você fica livre para falar sobre os aspectos mais difíceis e sensíveis da sua vida – livre para ser transparente e vulnerável – porque você sabe que Cristo o tem em Seus braços. Você ficará magoado e seus amigos falharão, mas você estará verdadeiramente bem com Cristo.

Vulnerabilidade gera crescimento
Quando devemos desejar que os amigos sejam transparentes uns com os outros? Qual é o propósito e os objetivos disso? Uma das principais maneiras pelas quais a vulnerabilidade gera crescimento é que você está simplesmente permitindo que outros entrem em sua vida, o que faz de você alguém que ama os outros mais do que ama proteger a si mesmo. Se você procurar crescer sozinho, ou fingir que tudo está bem quando não está, você não crescerá para ser mais parecido com Cristo. Para crescer, você precisa ser vulnerável.

Vulnerabilidade fortalece o relacionamento
Outro motivo pelo qual a vulnerabilidade é algo bom nos relacionamentos é que ela fortalece cada vez mais as amizades, ajudando-as a se tornar cada vez mais sólidas. Quanto mais você for conhecido por seus amigos e também os conhecer, mais você passará a amá-los e mais poderão cuidar um do outro. A vulnerabilidade e a transparência revelam que todo o terreno entre vocês está nivelado com a cruz de Cristo e que não existe, portanto, temor em serem abertos e honestos uns com os outros. Quanto mais seus amigos trouxerem seus pecados à luz, e quanto mais você também os trouxer à luz, mais eles serão tratados. Todos os envolvidos se tornarão mais parecidos com Cristo, todos amarão e se importarão mais uns com os outros.

Como crescer em vulnerabilidade e transparência
O primeiro passo para crescer em vulnerabilidade é renovar sua mente. Você precisa decidir crer na verdade de que ser transparente trará bons resultados e, consequentemente, precisa permitir que outras pessoas entrem em sua vida.

O segundo passo que você deve dar é se comprometer com ser transparente, não importa o custo. Muitas vezes, quando compartilhamos informações, procuramos fazê-lo de maneira que nos permita manter o controle, ter uma boa aparência ou nos sair bem de alguma outra forma. Você deve abandonar todo esse tipo de comportamento.

O terceiro passo é você encorajar as pessoas a seu redor para que também sejam vulneráveis e transparentes. Visto que isso não é natural, de vez em quando teremos que encorajar uns aos outros para que nos esforcemos e mudemos nosso comportamento.

Finalmente, comprometa-se com não desistir. Sim, as pessoas irão machucá-lo e decepcioná-lo, mas se você deseja crescer, você deve fazer a escolha de não permitir que a mágoa destrua o que você acredita ser valioso.

Conclusão
Há muito mais que poderia ser dito sobre o que é necessário para termos amizades excelentes. Por exemplo, não falamos sobre aspectos como graça e perdão. Poderíamos ter investido tempo para conversar sobre eles também, mas o objetivo era destacar algumas áreas que talvez não sejam tão óbvias.

À medida que você cresce como amigo ou cônjuge, que a graça de nosso Pai celestial o guie na busca de demonstrar amor assim como Ele o chama a fazer.


Os posts da série
Série Amizade #1: Os ingredientes essenciais para a amizade
Série Amizade #2: A amizade requer comunhão frequente
Série Amizade #3: A amizade requer profundidade intencional
Série Amizade #4: A amizade requer afeto genuíno
Série Amizade #5: A amizade requer esforço mutuo
Série Amizade #6: A amizade requer cuidado espontâneo
Série Amizade #7: A amizade requer serviço sacrificial
Série Amizade #8: A amizade requer incentivo ao crescimento
Série Amizade #9: A amizade requer vulnerabilidade e transparência


Joshua M. Greiner  faz parte da equipe de Faith desde 2010. Ele se formou na Purdue University, onde completou o curso de bacharel em Ciência Política. Em seguida, completou o mestrado em divindade no Faith Bible Seminary e o mestrado em teologia com ênfase em aconselhamento bíblico  no The Southern Baptist Theological Seminary (SBTS). Atualmente cursa o doutorado em aconselhamento bíblico também no  SBTS. Ele serve como pastor de ministérios em Faith West.



Original: Friendship Series #9: Friendship Requires Transparent Vulnerability
Publicado em Counseling with Confidence and Compassion – Faith Biblical Counseling
Tradução: Carla Silva
Revisão e adaptação: Conexão Conselho Bíblico