Passo 2: Saiba como encontrar e escolher os recursos que oferecem respostas fiéis à Palavra de Deus e relevantes.

Para começar a formar a sua coleção de recursos, é preciso ter um rumo, saber onde os recursos estão, em quais formatos podem ser encontrados e como chegar até eles. Tempos atrás, quando falávamos em uma coleção de recursos, a imagem que costumava vir à mente era a de uma prateleira de livros. Atualmente, uma coleção de recursos é algo mais diversificado. Ela ainda inclui os livros em papel, mas vai além, beneficiando-se de uma combinação de recursos impressos e recursos digitais. Se os livros impressos nos proporcionam certo prazer por poder segurá-los e folheá-los, os livros digitais são extremamente práticos na hora de viagens ou mudanças — basta levar seu aparelho móvel, e os seus recursos vão para qualquer lugar com você, sempre à disposição para ler, estudar, trabalhar.

OS FORMATOS DISPONÍVEIS

●  Os livros.  Quer em formato impresso, quer em formato digital, eles são importantes para o conhecimento dos conceitos e da evolução do pensamento no assunto de que tratam. No entanto, eles não são a melhor fonte para nos colocar a par das questões relacionadas à pesquisa cientifica. Isso se deve ao fato de que o processo de publicação pode demorar cerca de um ano ou mais, enquanto a pesquisa científica e o debate ministerial em resposta a ela avançam rapidamente.

@AprendaMais 
BIBLIOGRAFIAS: ACONSELHAMENTO BÍBLICO
BIBLIOGRAFIAS: TEMAS DA VIDA CRISTÃ

Lembre-se de que você precisa estudar a Palavra de Deus para poder ser um conselheiro fiel. Uma prática de imenso valor é comparar várias traduções da Bíblia, dependendo da sua habilidade linguística. Você pode ainda tirar imenso proveito dos comentários bíblicos. Para ter uma compreensão geral de cada livro, em seu contexto literário, histórico e cultural, você deve recorrer às introduções ao Antigo e Novo Testamentos. Não esqueça de consultar os volumes de teologia bíblica, que ao lado das teologias sistemáticas, proporcionam um estudo sólido das doutrinas. É possível que você encontre termos que não pertencem ao seu vocabulário habitual e conceitos que precisam de maior esclarecimento. Os dicionários e as enciclopédias bíblicas são os recursos certos para esses momentos. Todos esses recursos fazem parte de uma bibliografia na área bíblico-teológica.

@AprendaMais
BIBLIOGRAFIAS: BÍBLIA E BASES TEOLÓGICAS

●  Os artigos de publicações periódicas.  Na linguagem do dia a dia,  nós os chamamos de revistas e jornais. Os periódicos variam quanto ao público e uso a que se destinam, e quanto à autoridade dos artigos. Visto que o conselheiro precisa reunir qualidades de estudioso da Bíblia e também de investigador do cotidiano, é importante que ele conheça e lance mão adequadamente da diversidade de publicações periódicas.

Revistas acadêmicas Revistas especializadas Revistas de atualidades Jornais cotidianos
Propósito Publicar pesquisa inédita para divulgação e discussão acadêmica. Divulgar artigos de conteúdo consistente, mas sem o rigor da forma acadêmica. Informar e entreter sem profundidade de conteúdo e análise. Disseminar a informação atual.
Tema assuntos Voltado para uma disciplina específica. Voltado para uma área de interesse. Pode cobrir vários assuntos ou apena uma área de interesse. Retrata a sociedade atual. Acompanha os acontecimentos da atualidade local e/ou mundial.

@AprendaMais 
TEOLOGIA CRISTÃ E BÍBLIA: PERIÓDICOS COM CONTEÚDO ON-LINE
PESQUISA MULTIDISCIPLINAR: PERIÓDICOS ACADÊMICOS, ESPECIALIZADOS E DE ATUALIDADES

Os trabalhos acadêmicos. Os documentos gerados no âmbito acadêmico costumam ser úteis ao conselheiro na pesquisa de temas específicos ligados à atividade científica secular. Eles podem ser encontrados em bibliotecas universitárias e especializadas, ou nos repositórios acadêmicos de livre acesso na internet.  As Normas Brasileiras (NBR 14724:2011) distinguem três tipos de trabalhos acadêmicos.
## Trabalho de conclusão de curso – representa o resultado de estudo e expressa conhecimento do assunto escolhido, obrigatoriamente relacionado ao programa ou curso em conclusão.
#Dissertação – representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização de seu autor. No Brasil, visa ao título de mestre.
#Tese – representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. No Brasil, visa ao título de doutor.

@AprendaMais 
PESQUISA MULTIDISCIPLINAR: BASES DE DADOS E REPOSITÓRIOS ACADÊMICOS

As publicações de congressos e eventos. Vários eventos são organizados a cada ano por instituições conceituadas na área em que atuam, cobrindo diferentes campos de estudo e também de prática ministerial. De forma geral, essas publicações reúnem os trabalhos apresentados na ocasião.
As palestras, aulas, sermões. Algumas escolas teológicas e igrejas que se destacam na área do aconselhamento bíblico disponibilizam para acesso gratuito suas gravações com os respectivos esboços ou mesmo transcrições.
● Os posts, podcasts, vlogs, e outras produções avulsas encontradas na internet. São materiais intencionalmente breves, que precisam ser bem selecionados quanto ao conteúdo, mas que podem ser de grande utilidade para manter o conselheiro atualizado. Muitos posts tratam de assuntos relevantes e profundos, e são divulgados enquanto seu autor está preparando uma publicação maior. Embora úteis, os posts não são certamente substitutos para os livros, pois um livro dá ao tema uma cobertura que um único post não pode dar. Posts, podcasts e vlogs também encontram utilidade como recursos para tarefas práticas dadas aos aconselhados, pois podem fornecer um ponto de partida ideal para conversas durante os encontros.

@AprendaMais 
COLEÇÃO DE LINKS: ACONSELHAMENTO BÍBLICO E VIDA CRISTÃ
COLEÇÃO DE LINKS: ESTUDO DA BÍBLIA E TEOLOGIA CRISTÃ

OS CANAIS PARA A BUSCA

● Vá às pessoas! Uma fonte preciosa de indicações para a sua coleção de recursos são os colegas e amigos ao seu redor que conhecem bem o campo de interesse e a aplicação ministerial. É possível que vários deles administrem perfis ou páginas nas redes sociais, onde recomendam recursos bibliográficos. Consulte-os e considere as suas sugestões. Entre as indicações que você recebe, selecione alguns autores que se destacam. É recomendável que você leia um conjunto de obras de um mesmo autor, pois assim terá uma perspectiva mais ampla de como ele desenvolve seu pensamento – algo que a leitura de um único livro do autor não permite ter. Lembre-se, porém, de que mesmo na leitura de obras escritas por autores recomendados você deve exercer discernimento, sempre comparando o conteúdo dos livros com a verdade bíblica.

● Vá à internet! Tradicionalmente pensamos nas livrarias, palavra associada a livro, ou nas bibliotecas, do grego biblios que significa livros, como o lugar onde encontrar os recursos informacionais. Ambas continuam vivas e ativas, mas hoje não nos limitamos mais aos documentos físicos nem aos espaços físicos.  Nem sempre você pode ir a uma livraria no horário comercial ou passar horas em uma biblioteca para consultar seu catálogo dentro do horário de funcionamento. A qualquer hora, porém, você pode acessar na internet os catálogos de editoras, bibliotecas e livrarias que ajudam a conhecer os itens disponíveis. Você pode ficar atualizado e planejar suas aquisições. A livraria on-line Amazon possui um catálogo útil por dispor não só de um bom mecanismo de busca, mas da ferramenta “dê uma olhada”, que permite ver as páginas iniciais do livro e pesquisar palavras dentro do texto. Para se manter atualizado, você pode também assinar os serviços de alerta das editoras. Além disso, várias editoras, por ocasião do lançamento de um livro, criam um hotsite onde é possível ler parte do livro.

@AprendaMais 
RESENHAS E INDICAÇÕES DE LIVROS

AS ROTAS DE BUSCA: RUMO ÀS BIBLIOTECAS E BASES DE DADOS VIRTUAIS OU À INTERNET DE LIVRE ACESSO?

A internet é uma ferramenta valiosa. É preciso, porém, ter cuidado e desenvolver habilidades que permitam recuperar a informação de forma criteriosa e produtiva, visto que nem todo material publicado na internet de livre acesso é adequado como base para um trabalho ministerial de boa qualidade.

EM BIBLIOTECAS E BASES DE DADOS
Siga em frente, embora sempre com algum cuidado!
NA INTERNET DE  LIVRE ACESSO
Use com bastante cuidado!
Seleção Os itens do acervo são avaliados quando da sua aquisição. Fique atento ao fato de que, na maioria das vezes, o conteúdo do acervo inclui itens com diferentes pontos de vista para permitir comparação e avaliação criteriosa. Não é porque a obra de determinado autor faz parte do acervo da biblioteca que você deve necessariamente concordar com sua posição. A informação que circula na internet não está sujeita a qualquer tipo de avaliação ou seleção. Qualquer um pode publicar suas opiniões e seus trabalhos. Ao lado de sites com informação relevante, há informação que pode ser pouco útil para trabalhos de pesquisa séria. É preciso ter o cuidado de verificar sempre a qualidade do conteúdo.
Organização………. O acervo está organizado e catalogado. O catálogo de uma biblioteca não só é um ponto de acesso para o acervo, mas ele também dá um quadro das publicações existentes em determinado assunto. Grande parte da informação disponível na diversidade de sites não está organizada. Nenhum diretório ou motor de busca tem capacidade de indexar a totalidade das páginas existentes.
Atualidade e permanência  Atualidade: boas bibliotecas têm seu acervo constantemente atualizado.  Permanência: uma das funções da biblioteca é a documentação e conservação da informação publicada ao longo do tempo. Além de itens recentes, é possível encontrar edições antigas e alguns livros esgotados. Atualidade:  os sites confiáveis são bem mantidos e atualizados com frequência, mas nem todos procedem dessa maneira. Permanência: boa parte da informação publicada na internet é temporária.  Alguns sites simplesmente deixam de ser mantidos e não podem mais ser acessados.

Busca a partir de motores de busca. Um motor de busca, ou mecanismo de busca, é um sistema projetado para encontrar informações na internet a partir de palavras-chaves ou frases indicadas pelo utilizador. No entanto, por serem genéricos, os buscadores obtêm muita informação diversificada, não organizada por critérios de classificação nem avaliada. Aqui vale um alerta: muitas vezes, os resultados mais úteis não estão no topo da página nem mesmo na primeira página.
## Buscadores como Google ou Bing catalogam a informação existente na internet recorrendo a robôs de busca para a seleção, e o critério principal de seleção é mais a popularidade do que a qualidade do conteúdo. Eles têm uma boa capacidade de busca, especialmente se você tiver paciência para ir além da primeira página de resultados, mas é preciso lembrar que há muito conteúdo que não é encontrado a partir do Google e precisa ser acessado diretamente em bases de dados ou sites.
## Buscadores especializados em informação acadêmica como o RefSeek, que inclui na pesquisa páginas da web, livros, enciclopédias, revistas e jornais.
## Buscadores para a “web invisível” permitem acesso à parte da internet que não é indexada pelos buscadores genéricos. Eles dão acesso a informações acadêmicas em bases de dados, periódicos eletrônicos, catálogos de bibliotecas e outras fontes especializadas. Pode-se pesquisar por assuntos ou usar a pesquisa avançada. Visite The WWW Virtual Library.

Busca a partir das ferramentas Google voltadas para a educação. As ferramentas Google voltadas para a educação permitem pesquisar em conteúdo produzido no contexto acadêmico.
#O Google Livros permite pesquisar em livros cadastrados e digitalizados pelo Google em parceria com bibliotecas e editoras. Alguns livros são disponibilizados na íntegra. Para outros, consegue-se ler algumas páginas e o sumário. Devido às leis de copyright, não é possível baixar o conteúdo completo a menos que se trate de um livro de domínio público. No entanto, ao lado de Amazon, ele é uma ferramenta muito útil quando se precisa conhecer melhor um livro antes de adquiri-lo.
#O Google Acadêmico é uma ferramenta de busca voltada para pesquisadores acadêmicos. Permite aos usuários procurar artigos, trabalhos acadêmicos e relatórios técnicos em diversas línguas, inclusive o português. Acessa informações a partir de fontes como publicações de universidades e grupos de profissionais especializados. A ferramenta também analisa automaticamente e extrai citações de determinado documento. Você pode criar a sua biblioteca de itens do Google Acadêmico — confira aqui como fazer.

Busca na Wikipedia.  A Wikipedia, uma enciclopédia livre, é redigida de forma coletiva por voluntários, não necessariamente experts reconhecidos nas áreas nas quais contribuem. O sistema de edição e controle também é coletivo, com normas e procedimentos, mas não sem deficiências. Sua maior virtude é a atualidade da informação, mas a qualidade dos verbetes varia bastante. Ela pode ser uma forma de primeiro contato com um assunto, mas nunca a fonte definitiva de informação, e deve ser consultada com prudência. A própria Wikipedia adverte:

Assim como qualquer outra fonte de pesquisa, especialmente aquelas de autoria não conhecida, recomenda-se estar atento para, se possível, verificar independentemente a exatidão das informações da Wikipédia. Para muitas finalidades, mas particularmente no meio acadêmico, a Wikipédia e as enciclopédias em geral podem não ser uma fonte aceitável – pelo menos quando não usadas sem corroboração das informações por outras fontes. Considerando que grande parte do conteúdo da Wikipédia está referenciado, uma alternativa é citar as fontes confiáveis presentes no verbete, em vez de citar apenas este último. Normalmente, o uso acadêmico da Wikipédia e de outras enciclopédias é para compreender as generalidades de um problema e reunir palavras-chave, referências e indicações bibliográficas. A Wikipédia é uma wiki, portanto pode ser alterada por qualquer pessoa com acesso à internet. Por mais que ofereça boa visão geral sobre grande parte dos tópicos cobertos, a Wikipédia pode sofrer a qualquer momento alterações com exclusão de informações exatas ou acréscimo de informações falsas, as quais o leitor pode eventualmente não reconhecer como tais. (Disponível aqui)

AS ESTRATÉGIAS DE BUSCA

A internet abre portas para um universo informacional, mas isto não significa que a pesquisa é uma atividade que não requer esforços e planejamento. Algumas estratégias podem ajudar a chegar mais rápido aos resultados desejados.

Frases e termos de busca
Nos buscadores como o Google é possível inserir frases de busca: “Como administrar o tempo?” ou “Necessidade diária de sono”. Já em sites especializados, e nas bases de dados, você deve utilizar apenas termos de busca.  Os termos de busca são as palavras que descrevem os diversos conceitos e aspectos do assunto em foco. Por exemplo, se você quer pesquisar sobre a administração do tempo, pode usar termos como tempoplanejamentoprioridades, e assim por diante. A escolha correta de termos é básica para o sucesso na obtenção dos resultados.

A partir da escolha inicial de termos, considere os termos alternativos que podem ter sido usados nos livros e artigos sobre o assunto. Por exemplo, se estiver preparando um estudo bíblico sobre ansiedade, lembre-se de que alguns autores podem usar ansiedade e outros usar preocupação de maneira alternada. Uma variedade de termos amplia a possibilidade de busca. Inclua sinônimos, termos mais amplos e mais restritos, abreviações e formas derivadas. Por exemplo, pesquise adolescentes e também adolescência. Comece do termo mais geral e vá em direção aos termos específicos. Às vezes, é preciso buscar termos não só que restrinjam (mais específicos), mas também que alarguem (mais gerais) o campo inicial. Por exemplo, se em determinada pesquisa partíssemos do termo transtornos da alimentação, poderíamos estabelecer o termo mais amplo como transtornos psiquiátricos e termos mais restritos como anorexia ou bulimia. Caminhe do geral para o específico também no tratamento do assunto, ou seja, pesquise primeiro transtornos alimentares de forma geral para ter uma noção do assunto e tudo o que ele envolve, e depois aprofunde-se nas causas dos transtornos alimentares se este for o seu interesse. Se for preciso lidar com palavras que não lhe são familiares, consulte um dicionário da língua portuguesa para defini-las. E se você estiver pesquisando em uma biblioteca, peça ajuda para traduzir os seus termos para a terminologia aceita pelo sistema de busca local.

Na leitura de artigos, preste atenção às palavras-chaves que normalmente o acompanham o resumo. Para os livros, leia a introdução e o sumário, consulte a bibliografia e o índice tópico quando disponíveis, pois eles podem dar uma boa ideia dos possíveis desdobramentos do assunto e de outros termos que você deve incluir na sua busca. Para separar o importante do acessório, considere consultar pessoas que conheçam bem o tema e seu contexto semântico e aplicação ministerial – elas podem orientar na escolha de termos de pesquisa e também ajudar a afastar de imediato o que se situa fora do seu campo de investigação.

Expressões de busca
Além da busca simples de palavras, você pode traçar uma expressão para detalhar mais a pesquisa por meio de recursos avançados, mas de fácil aplicação: os operadores booleanos — E – OU – NÃO. Eles ajudam a refinar a sua pesquisa e são aceitos na maioria das bases de dados e dos buscadores na internet. A relação lógica entre os termos a serem pesquisados é chamada de expressão booleana, que vem de George Boole, matemático inglês, criador da álgebra booleana.
E – Intersecção. Busca todos os registros onde ocorrem simultaneamente os termos indicados.

Se você digitar O resultado dará
Paulo E Epístolas Apenas os registros que contêm ambos Paulo e Epístolas.
Teologia E Paulo E Epístolas Apenas os registros que contêm todos os três termos digitados.

OU – União. Busca todos os registros onde há qualquer um dos termos indicados.

Se você digitar O resultado dará
Paulo OU Epístolas Os registros que contêm Paulo, que contêm Epístolas e que contêm ambos os termos digitados.
Teologia OU Paulo OU Epístolas Os registros que contêm Paulo, que contêm Epístolas, que contêm Teologia ou qualquer combinação de dois ou três dos termos.

NÃO – Exclusão. Busca todos os registros que possuem a(as) palavra(s) que precede o operador e excluem as palavras que o sucedem.

Se você digitar O resultado dará
Paulo NÃO Epístolas Os registros que contêm Paulo, mas que não contêm o termo Epístolas.
Teologia E Paulo NÃO Epístolas Os registros que contêm Teologia e Paulo, mas não o termo Epístolas.

Parênteses
O uso de parênteses permite colocar vários termos em uma única estratégia de busca ou usar termos correlatos adicionados a outros que complementam a pesquisa.
Ex.: Umapesquisa sobre as causas e consequências da preocupação.
…….(Preocupação ou Ansiedade) E (Causas ou Consequências)
….1. Dois termos utilizados para cercar o assunto – preocupação e ansiedade (amplia a busca).
….2. Para a busca, interessa o contexto tantos de causas como de consequências, mas não de outros aspectos.
Quando a busca não é feita com o uso do parêntese, a base recupera todos os documentos que possuem um dos termos acima.
.
Truncamento
Quando não temos certeza se o termo que queremos entra na base no plural ou singular, ou se o termo tem uma variação, truncamos o termo por meio de um caractere auxiliar que indica variações no termo de busca.

Se você digitar O resultado dará
aliment* Registros que contêm alimento, alimentar, alimentação, alimentício, alimentário e assim por diante.

Quando não temos certeza do termo, algumas bases também permitem o uso de interrogação. Este sinal é útil para achar documentos que contêm palavras com variantes entre o inglês britânico e norte-americano.

Se você digitar O resultado dará
col?r Registros que contêm color, colour, colonizer, and colorimeter.

A melhor busca nem sempre é a que dá maior número de resultados. É provável que o excesso de resultados aconteça porque a busca não foi suficientemente “afunilada”. Por exemplo, escatologia é mais específico que teologia sistemática, e milênio mais que escatologia. No sentido contrário, se seu tópico está restrito e existe pouca bibliografia, use um termo de busca mais genérico.  Nem sempre a primeira busca satisfaz. Faça tentativas sucessivas, com diferentes expressões de busca. A palavra ou frase que você escolheu pode não condizer com aquela que foi usada na indexação do documento, e as bases de dados apenas procuram aquilo que você digita. Por isso, é importante ter termos alternativos para o mesmo conceito. Certifique-se também de escrever corretamente os termos. Algumas bases só permitem pesquisa em inglês e você precisa traduzir seus termos de busca.

Nos catálogos on-line e nas bases de dados, leia as instruções para pesquisa na base escolhida para limitar idioma, formato, data de publicação e outras variáveis.
Nos mecanismos de busca, use a “pesquisa avançada” – o link para a pesquisa avançada costuma ficar ao lado da caixa de busca e permite definir preferências de idioma, área geográfica, data, tipo de arquivo, tamanho e cor de imagem, entre outras variáveis que limitam a pesquisa e permitem obter resultados mais úteis. Com o tempo, você pode adquirir também capacidade de interpretar a descrição dos links. Ao bater o olho na lista de resultados de busca, você saberá se o link leva a uma página de site ou a um documento, pois o documento vem acompanhado do tipo de arquivo – pdf, ppt ou doc, por exemplo.  A busca no Google pode ser mais efetiva com o uso da pesquisa avançada e de alguns recursos simples, aos quais nem sempre damos atenção.

@AprendaMais 
DICAS PARA UMA PESQUISA MAIS EFETIVA NO GOOGLE

A AVALIAÇÃO INICIAL DA INFORMAÇÃO

O valor da sua coleção de recursos não está na quantidade de itens. Assim que você começar a localizar livros, artigos e outros recursos seja em livrarias ou na internet, antes de inseri-los na sua coleção, ou em uma lista de livros para adquirir, é preciso avaliar tanto a qualidade quanto a relevância de cada um deles à sua necessidade informacional. Uma avaliação inicial já deixará alguns itens de lado por não terem a qualidade desejada, e deixará outros de lado não pelo fato de não serem bons materiais, mas porque não são os materiais mais adequados para alcançar o objetivo estabelecido para a sua coleção. No caso dos textos, o primeiro contato — aquela “passada de olho pelo texto” ou leitura preliminar — já permite identificar se vale a pena tê-lo na sua coleção. Trata-se de uma leitura corrida que, embora atenta, não deve se preocupar com a compreensão mais aprofundada das ideias apresentadas. Em geral, os mesmos critérios valem para livros impressos e e-books.

• A página de rosto – procure a editora e a data de publicação.
• As abas ou a quarta capa – verifique as credenciais do autor: formação, experiência e contexto ministerial.  A quarta capa também costuma trazer um breve resumo do livro, seu propósito e recomendações de outros autores do mesmo campo de estudo.
O sumário– confira como o autor desenvolve o tema, os assuntos de que trata  e o quanto os capítulos se relacionam à sua necessidade informacional.
O prefácio – confira quem o assina e as recomendações feitas à obra.
A introdução – verifique o propósito, a abordagem e o público alvo, as hipóteses de trabalho e a metodologia do autor.
Os capítulos – passe rapidamente pelos capítulos em busca de termos ligados ao seu tema, confira os títulos e subtítulos, leia alguns parágrafos que lhe permitam entender a linha e essência do conteúdo.
A bibliografia citada – confira os recursos utilizados pelo autor ou veja se há notas de rodapé ou notas finais.
A bibliografia recomendada – confira os recursos recomendados pelo autor.

Para uma avaliação mais detalhada dos dados encontrados na leitura preliminar, você pode usar os cinco critérios básicos da tabela abaixo. Uma área mais fraca não invalida necessariamente o material, mas deve levantar um sinal amarelo.

PERGUNTAS IMPLICAÇÕES
Autoria  Quais as credenciais do autor?
Qual sua posição teológica ou qual sua linha de pesquisa?
Ele escreveu outros livros? É citado por outros em seu campo de estudo?
Está ligado a alguma instituição acadêmica ou a um ministério?
Se o livro não fornece dados suficiente, procure uma resenha crítica e mais dados sobre o autor na internet. Verifique quem endossa o livro, lembrando que os autores que você já conhece podem dar as recomendações mais confiáveis. Estabeleça conexão entre os autores e a linha das instituições a que o autor está ligado ou recomenda. 
Publicação Qual é a editora?
Identifique a qualidade da editora e sua linha editorial. Familiarize-se com editoras cristãs que publicam na área do aconselhamento bíblico. A boa reputação da editora não garante inteiramente a qualidade do conteúdo de todos os seus projetos editoriais, mas é um indicador a ser considerado.
Datação Quando foi publicado?
Foram feitas revisões ou novas edições?
A data de publicação é importante para o assunto?
Na área científica, a atualidade da informação é importante. Em um ano ou dois os livros podem estar desatualizados. Para a área teológica, os livros mais antigos podem ter excelentes contribuições. Na área ministerial, é preciso levar em conta os novos desafios do cotidiano. Várias edições e revisões podem indicar que a obra é de referência na área. A data permite também inserir o texto no momento histórico de desenvolvimento do pensamento do autor, bem como no contexto cultural e ministerial. 
Conteúdo O argumento é desenvolvido de modo claro e coerente?
Ao defender seu ponto de vista, o autor apresenta e compara vários pontos de vista?
O tratamento do assunto é específico e profundo, ou é geral e superficial? A linguagem é acadêmica ou acessível ao público em geral?
Verifique tanto a confiabilidade do conteúdo quanto a originalidade no tratamento do tema, e a utilidade tanto acadêmica quanto ministerial. Para estudo, você precisa estar ciente de diferentes pontos de vista e saber avalia-los e compará-los. Para o seu aconselhado, prefira livros que exponham claramente o ensino bíblico, com interpretação bíblica e teologia precisas.
Documentação O autor faz referência a obras conhecidas no seu campo de estudo?
Inclui uma bibliografia recomendada?
Faz afirmações dando referências de pesquisa? A fonte dos fatos é citada?
A informação é precisa ou contém erros evidentes?
Verifique se as fontes citadas são verídicas. Algumas vezes, é possível que você tenha de ir à fonte original para entender o contexto da citação e verificar se a fonte foi devidamente representada.
Tanto a bibliografia usada como base pelo autor quanto a bibliografia recomendada costumam indicar a linha de pensamento que o autor segue na sua área de estudo.

A avaliação do material on-line
Para determinar a qualidade dos materiais encontrados por meio de buscadores como o Google, além de aplicar boa parte dos critérios de avaliação mencionados para os livros, considere outros quatro critérios específicos.

PERGUNTAS IMPLICAÇÕES
Responsabilidade pelo conteúdo e pelo site Está explícito quem é o responsável pelo site?
O que a URL indica?
Existe um contato para informação?
O site inclui uma página que fornece as credenciais e/ou filosofia da instituição ou autor?
Você chegou a ele por um link de um site de confiança?
Que sites fazem referência a ele?
É recomendável para um aconselhado
?
Uma URL “.edu” ou “.gov” pode indicar informação mais confiável para pesquisa e dados estatísticos.
Os blogs não são necessariamente fontes ruins de informação, mas é preciso investigar a autoria.
Descubra páginas que se referem a esse site: na pesquisa do Google, digite: link: “url do site“.
Se o site não for inteiramente de confiança em seu conteúdo, verifique que o seu aconselhado tenha maturidade para discernir o que aproveitar ou não; caso contrário, não indique.
Datação Qual a data da última atualização ou postagem? Nas áreas científicas, a atualidade da informação é primordial. Na área teológica e nas ciências humanas, a informação não perde sua validade com o tempo, mas a data permite verificar se o site ainda está sendo atualizado.
Conteúdo Qual o publico alvo?
A informação é completa e exata? O quanto é detalhada? Remete para outros conteúdos?
A extensão do desenvolvimento de um assunto em um post é menor do que no livro, mas bons blogs costumam incluir links para outras páginas que estendem a abordagem do assunto.
Documentação Há links inativos? As fontes bibliográficas estão indicadas?
Reproduz material de outros sites? Se sim, as referências são exatas e há links?
Os links estão organizados? Foram avaliados ou anotados?
Links que não estão ativos ou que levam a páginas com conteúdo vago não dão credibilidade ao site. Verifique também as fontes quando o material é reproduzido de outro site. Se a URL do documento original não é mencionada, a reprodução pode ser não autorizada ou estar alterada.

A avaliação bíblico-teológica
Entre os recursos que escolheremos, certamente haverá aqueles que sabemos ter um conteúdo fiel à Palavra de Deus. Mas será que devemos descartar a interação com tudo quanto já sabemos ter problemas teológicos? Não. Ler livros com os quais discordamos ajuda a ampliar nossa perspectiva. No entanto, nem sempre dispomos de tod o tempo que gostaríamos de ter para a leitura, e ao fazer a escolha de um livro, é preciso ser intencional e saber como ele poderá ser de fato proveitoso para nós.

@AprendaMais 
OS LIVROS MAIS ANTIGOS AINDA SÃO DE VALOR PARA O CONSELHEIRO BÍBLICO
COMO ESCOLHER LIVROS PARA MARCAR A VIDA CRISTÃ E O ACONSELHAMENTO