Timothy Keller. Deuses falsos

Deuses falsos_post livro

Resenha por Tim Challies

Tim Keller sabe como contar uma história da Bíblia. À semelhança de seu livro anterior, The Prodigal God [O Deus Pródigo], seu livro mais recente, Deuses Falsos, desenvolve-se ao redor de histórias bíblicas. E cada vez que leio uma dessas histórias, tenho a impressão de estar ouvindo pela primeira vez. Vejo-me perdido na história, antecipando qual poderia ser o seu desfecho. Já tenho o conhecimento exato do que irá acontecer. De alguma forma, porém, Keller me conduz numa viagem em sua companhia enquanto ele conta essas histórias de forma tão vivaz.

Em Deuses Falsos, ele conta a história de Abraão e Isaque, Jacó e Esaú, Jonas e Zaqueu. Cada um destes personagens e sua história de vida são usados para ensinar o leitor sobre a prevalência da idolatria na Bíblia e no coração humano.

O coração humano toma coisas boas como uma carreira de sucesso, amor, bens materiais, e até a família, e faz delas seus bens últimos. Nosso coração as diviniza como se fossem o centro de nossa vida porque achamos que podemos ter significado e proteção, segurança e satisfação se as alcançarmos. (p. 13)

Desta forma, tudo pode ser um ídolo, e tudo tem sido um ídolo para uma pessoa ou outra. O grande engano é que somos propensos a pensar que apenas as coisas ruins podem ser ídolos. O mal, porém, é muito mais sutil.

Achamos que ídolos são coisas ruins, mas isso nunca é verdade. Quanto maior o bem, maior é a tendência de esperarmos que ele satisfaça nossas necessidades e esperanças mais profundas. Qualquer coisa pode servir como um falso deus, especialmente as melhores coisas da vida. (p. 15)

O que é, então, um ídolo?

É qualquer coisa que seja mais importante que Deus para você, qualquer coisa que absorva o seu coração e imaginação mais que Deus, qualquer coisa que só Deus pode dar. (p. 15)

Se alguma coisa deste mundo é mais fundamental do que Deus para sua felicidade e para que você encontre significado na vida, então ela se tornou um ídolo para você, algo que suplantou Deus em seu coração e suas afeições. Você buscará essa coisa com um abandono e intensidade que devem estar reservados apenas para Deus.

Depois de apresentar a idolatria e seus efeitos na introdução e no primeiro capítulo, Keller usa os capítulos de dois a cinco para considerar os ídolos que exercem um domínio particularmente forte sobre as pessoas em nossos dias, embora talvez sejam ídolos que sempre atraíram o coração dos homens. Ele aborda o amor (e o sexo), o dinheiro, o sucesso e o poder (com particular atenção ao poder político). Após considerar estes ídolos pessoais, ele separa um capítulo para olhar para alguns ídolos culturais e sociais – aqueles que tendem a passar despercebidos por serem tão corriqueiros e normais. Finalmente, ele olha para “o fim dos falsos deuses” e oferece esperança para o idólatra.

Há alguma esperança? Sim, se começarmos a perceber que ídolos não podem simplesmente ser removidos. Precisam ser substituídos. Se você apenas tentar extirpá-los, eles crescerão novamente, mas podem ser suplantados. Pelo quê? Pelo próprio Deus, claro. […] O que precisamos é de um encontro vivo com Deus.” (p. 138)

Keller conduz o assunto em direção ao epílogo, onde oferece palavras que respondem proveitosamente à pergunta “e agora?”. Ao expormos os ídolos, o problema é que percebemos que a maioria dos nossos ídolos são coisas realmente boas, às quais permitimos assumir uma importância excessiva. Nós não queremos jogar fora essas coisas boas! E a solução não é amar menos as coisas boas, mas amar mais a melhor.

Como sempre, Keller é um escritor notável e muito habilidoso. O livro é excelente não só de forma geral, mas também nas partes que o compõem. Mais importante, ele se reporta sempre ao evangelho. Ele nunca deixa o leitor em desespero, mas o encaminha para longe de seus ídolos, em direção Àquele que quebra os ídolos e exige e merece o primeiro lugar em nosso coração.

O caminho a seguir em frente, para longe do desespero, é discernir os ídolos do nosso coração e nossa cultura. Mas isso não será suficiente. A única forma de nos libertarmos da influência destrutiva dos falsos deuses é nos voltarmos para o verdadeiro Deus, o Deus vivo, que se revelou, tanto no Monte Sinai quanto na Cruz, é o único Senhor que, se for encontrado, pode realmente satisfazê-lo; e, se você falhar, ele será o único que poderá realmente perdoá-lo. (p. 21)

Verdadeiramente, o coração humano é uma fábrica de ídolos. Deuses Falsos conduz às Escrituras para ajudar a extirpá-los, volta-se para a Cruz para encontrar o perdão e aponta para o evangelho como o poder para encontrar a liberdade definitiva. É um livro excelente, que espero ler novamente, talvez com um grupo pequeno. É sem dúvida um dos melhores livros que li este ano e o recomendo a você.

Fonte: Challies.com
Original: Book Review – “Counterfeit Gods” by Tim Keller
Tradução Conexão Conselho Bíblico
_______________

Ficha Técnica
Autor: Timothy Keller
Título:  Deuses falsos: eles prometem sexo, pode e dinheiro, mas é disso que você precisa?
Título original:  Conterfeit gods: the empty promises of money, sex, and power, and the only hope that matters
Editora: Thomas Nelson Brasil
Páginas: 176
Data de publicação: 2010

Tim Keller é pastor da Reedemer Presbyterian Church, em Nova Iorque. É formado pelo Gordon Conwell Theological Seminary e exerce o pastorado desde 1975. Obteve o seu doutorado pelo Westminster Theological Seminary.