John F. MacArthur, Jr. Abaixo a ansiedade

Recursos bíblicos para vencermos um inimigo constante

Resenha por Bianca Bonassi Ribeiro

Abaixo a Ansiedade é mais um dos diversos livros de autoria de John MacArthur Jr. – pastor, teólogo e presidente do The Master’s University e The Master’s Seminary, na California, Estados Unidos.  O ponto central do livro é direcionar o cristão ansioso a olhar e depender de Deus. Ao mesmo tempo, trata-se de uma poderosa ferramenta para conselheiros e líderes de grupos de estudo quando precisam aconselhar e instruir outros irmãos na fé.  É uma leitura obrigatória.

Continuar lendo

A Bíblia está ficando no banco de trás do seu aconselhamento?

biblia-banco-traseiro_post

Stuart Scott

Os conselheiros bíblicos seriam os primeiros a afirmar que a Palavra de Deus é a fonte do nosso aconselhamento e o agente do Espírito para a mudança. Na prática real, porém, estamos comunicando isto de forma efetiva aos nossos aconselhados? Estamos dependendo realmente do poder de Deus, por meio da Sua palavra, para atingir, confortar e transformar corações? Aqueles que ministram de maneira informal nas nossas igrejas entendem o valor de apontar para a Palavra antes de apresentar um recurso externo?

Na supervisão de alunos que estão sendo treinados em aconselhamento bíblico, tenho notado que eles facilmente indicam materiais suplementares como tarefa prática para os aconselhados, mas dificilmente abrem a Palavra de forma significativa com eles. Com certeza, é muito mais trabalhoso abrir a Palavra de Deus para explicá-la, e dialogar durante um encontro, do que pedir ao aconselhado para comprar uma apostila ou um livro e trabalhar em cima desse conteúdo.

No entanto, penso ser primordial que nossos aconselhados compreendam, por meio do que acontece durante e depois do encontro, que a Bíblia é o ponto central no nosso aconselhamento. Deveríamos nos perguntar frequentemente: Estou dando o devido destaque a isso? Será que apenas me refiro às verdades bíblicas? Será que passamos a maior parte do nosso tempo só falando sobre os problemas e investimos bem pouco tempo na Palavra de Deus? Aqueles que procuro ajudar estão, predominantemente, lendo livretos e ouvindo podcasts? Ou estou encaminhando os aconselhados para páginas preciosas das Escrituras de modo que o Espírito use a Palavra e cumpra Sua obra?

Se um irmão ou uma irmã chegam a você e perguntam “Você sabe de algo que poderia ajudar minha irmã que está lutando com automutilação?”, ou se a pergunta é sobre depressão, você diz: “Ah sim, conheço tal livro sobre ‘automutilação’, desse o daquele autor” ou “Você tem que comprar tal livro sobre depressão, de tal e tal autor”? Não daríamos à Palavra do Deus digno de toda honra o lugar que melhor lhe cabe se nos esforçássemos para apontar aos aconselhados primeiramente a Bíblia?

Não quero minimizar a utilidade dos ótimos recursos que estão disponíveis. Eu mesmo sou o autor de alguns deles! Entendo que às vezes temos apenas uma oportunidade para oferecer alguma ajuda significativa, e não quero comunicar que não devemos indicar, ou usar como tarefa prática, recursos que são baseados na Bíblia. Eles podem ajudar bastante no processo de aconselhamento.

O que quero enfatizar é que a Palavra de Deus não deve ficar em segundo lugar em relação aos comentários sobre ela, sejam nossos ou de outros. Durante os encontros, devemos levar as pessoas a passagens específicas da Palavra de Deus, devemos indica-las para as tarefas práticas, e só então recomendar livros, nossos ou de outros autores, como complementos para uma melhor compreensão e aplicação da Palavra que foi compartilhada. Existe uma diferença entre essas duas abordagens. A última comunica onde de fato estão as palavras que oferecem vida e resposta.

Antes de recomendar um recurso, pode ser útil destacar um trecho ou outro. Também é muito importante escolher cuidadosamente recursos que contenham vários versículos bíblicos, usados com precisão. E certifique-se sempre de que o aconselhado esteja procurando em sua Bíblia as referências citadas e respondendo às palavras dirigidas diretamente a ele por Deus.

Não queremos encorajar aqueles que aconselhamos a se tornarem fãs de determinados autores no aconselhamento bíblico. Queremos que eles se encantem com o Deus da Bíblia e os tesouros de Sua Palavra.

O que estou propondo é simplesmente que faríamos bem em perguntar continuamente a nós mesmos:
“Quando aconselho, o que estou fazendo especificamente para facilitar o temor a Deus e uma dependência de Deus?”.
“Estou me esforçando para que os aconselhados mergulhem nas Palavras de Jesus?”
“No mínimo, estou comunicando a importância que isso tem, mantendo a Bíblia sempre ao meu alcance e levando os outros a fazer o mesmo?”

Não são o desabafar do coração nem mesmo a nossa “conversa santa” sobre os princípios bíblicos os meios mais efetivos para cumprir a obra de Deus em um coração, mas a própria Palavra de Deus. Jesus orou ao Pai: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17.17).  Então, tenhamos certeza de que a estamos usando em primeiro lugar, de que estamos mantendo a Bíblia no banco da frente quando ajudamos outras pessoas (Sl 19.7-14; Hb 4.12; Sl 119).



Original em ACBC:   Is The Bible taking a backseat in your counseling

Falando a verdade em amor sobre uma escolha surpreendente

falando-verdade_post1

Este é o segundo post com base no livro de David Powlison Falando a Verdade em Amor. No primeiro, vimos parte do testemunho pessoal de Powlison, compartilhado em Por que escolhi ser treinado para o ministério de aconselhamento? — um dos capítulos do livro. Conforme prossegue em seu compartilhar, o autor conta-nos sobre sua experiência no mundo da saúde mental, sobre a diferença que a Palavra de Deus fez em sua vida e sobre a escolha, talvez para muitos surpreendente, de estudar teologia como preparo para ser um conselheiro. Continuar lendo

Falando a verdade em amor sobre uma escolha determinante

Em Falando a Verdade em Amor, David Powlison compartilha com muita clareza e, sim, também muito amor, a razão de ter escolhido o aconselhamento bíblico em detrimento de outras alternativas para tratar os problemas que afligem o coração. O livro é uma leitura obrigatória para todos quantos querem de fato ajudar aqueles que estão em busca de alívio para o coração aflito. Continuar lendo

Como vai seu tempo diário a sós com Deus?

Estas são algumas das perguntas que mais precisamos fazer com frequência àqueles que discipulamos e aconselhamos:
Você tem separado um tempo diário para estar a sós com Deus?
Como você tem aproveitado seu tempo diário a sós com Deus?
Manter essa disciplina espiritual, e tirar bom proveito dela, é essencial para todos nós se quisermos conhecer cada vez mais o Senhor e crescer na vida cristã. O que descobrimos, porém, é que muitos não sabem do que estamos falando ou não têm ideia de como proceder.
Continuar lendo

Trillia Newbell. Medos do coração

Encontrando a paz que você anseia

Mulheres de todas as idades e em todas as situações de vida têm de lidar com o medo, não importa quão grande ou quão pequeno ele seja. Um dos grandes desafios diários é lutar contra o medo que algumas vezes nos domina por completo e nos induz a não fazer o que deveríamos fazer, ou então a fazer o que não deveríamos fazer.

Continuar lendo

Gloria Furman. Vislumbres da graça

Valorizando o evangelho na rotina do lar

O evangelho vivido no cotidiano: este é o tema de Vislumbres da Graça. Para desenvolvê-lo, Gloria Furman escolheu como cenário a própria vida de esposa e mãe. Isso fará certamente com que muitas mulheres que lutam com a sensação de que sua vida, após a chegada dos filhos, tornou-se uma rotina infindável de tarefas muitas vezes cansativas e pouco gratificantes, possam se identificar inteiramente com ela. Por outro lado, se você é uma mulher que está num cenário de alguma forma diferente desse, não descarte o livro imediatamente. A leitura de Vislumbre da Graça também será muito proveitosa para você. O evangelho pode e deve ser vivido em quaisquer que sejam os detalhes do cotidiano e Gloria Furman nos incentiva a isso.

Continuar lendo

Elyse Fitzpatrick. Um coração inabalável

coracao-inabalavel_post

Experimentando o consolo de Deus em tempestades da vida

Há momentos na vida em que nos encontramos andando debaixo de uma tempestade. Em outros momentos, precisamos dar palavras de consolo a uma irmã em Cristo que está enfrentando forte pressão.  É nessas circunstâncias que precisamos conhecer bem de perto o nosso Deus e a estabilidade de que dispomos nEle. Usando o Salmo 57 como texto-base, Elyse Fitzpatrick conduz as leitoras à descoberta do segredo de um coração inabalável, pronto a resistir em tempos difíceis.

Continuar lendo

Wayne Mack. Caído, mas não derrotado!

mack-caido_post

Lidando biblicamente com o desânimo, o abatimento e o esgotamento

Prazos a cumprir, pressões vindas de todos os lados, decisões quanto ao próximo passo nos estudos ou na carreira profissional, mudanças as mais diversas – o que fazer quando as “intempéries da vida” querem nos derrubar? Será que o cristão pode responder às tantas preocupações e pressões que infalivelmente o atingem na vida diária sem ser controlado e vencido por elas?

Continuar lendo

A mulher solteira e seus temores

solteira_post

Paula Higuchi exerce seu ministério como conselheira no Biblical Counseling Center of estarMaui, no Havaí. Seu compartilhar como jovem adulta solteira, publicado no blog da ACBC,  é edificante para mulheres solteiras em todas as faixas etárias, e também para aquelas que passam pela viuvez ou pela separação conjugal. Suas sugestões práticas são um ponto de partida, e cada uma poderá aplicar a verdade bíblica de acordo com a sua realidade de vida. Continuar lendo

Ansioso demais para continuar a cuidar de outros

cansado-2_post

No post anterior, com o artigo de Joshua Waulk, falamos sobre como entender uma possível “fadiga por compaixão” no ministério do conselheiro bíblico. Continuando no tema burnout, o artigo de Abe Meysenburg sobre o fardo de cuidar de pessoas, originalmente postado no blog de Biblical Counseling Coalition, ajuda o conselheiro a examinar as possíveis causas da ansiedade no seu coração.  Continuar lendo

Cansado demais para continuar a cuidar de outros

Fadiga por compaixão é uma expressão relativamente nova e pouco conhecida, usada pelos profissionais da saúde. Neste contexto, ela é entendida como uma síndrome que causa exaustão física e emocional em decorrência do custo empático de lidar com o sofrimento alheio. No Brasil, o fenômeno ainda é pouco conhecido, mas há vários estudos em andamento no contexto secular.[1]  Como entender uma possível fadiga por compaixão no ministério do conselheiro bíblico?  Joshua Waulk escreve sobre o tema no blog de Biblical Counseling Coalition, contribuindo para a compreensão e uma abordagem prática.  Em um próximo artigo, o foco estará na dinâmica do coração do conselheiro cansado. Continuar lendo

Este livro é velho e ultrapassado!

livro velho e novo_post

Considerações sobre o lugar dos livros na “linha do tempo” quando o assunto é recursos para a pesquisa e a formação do conselheiro bíblico

Se alguém lhe perguntar “Este livro é velho e ultrapassado?” enquanto aponta para uma Bíblia, não há outra resposta imediata a não ser um sonoro “Não”! A Bíblia, como ela mesma afirma, nunca será um livro ultrapassado para transformar vidas. “A relva murcha, e as flores caem, mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre” (Is 40.8).  No entanto, para os demais itens que compõem a coleção de recursos à qual o conselheiro bíblico recorre para pesquisa e estudo, a data de publicação da informação é uma questão importante a ser considerada. Continuar lendo

“Quem sou?”

identidade_post

“Identidade” é um assunto que deve ser tratado no aconselhamento?

Stuart Scott

Uma ilustração sobre identidade
Anos atrás, aconselhei uma mulher cristã, membro de igreja há muitos anos, que chamaremos de Jane. Quando procurou aconselhamento, ela estava percebendo sua vida como um completo fracasso, e via a si mesma como um nada: “um zero à esquerda”. Continuar lendo

Essas emoções incômodas! Parte 2

Equilíbrio bíblico para as nossas emoções

Na série de artigos Those Pesky Emotions, Sherry Allchin considera os princípios bíblicos que nos ajudam a lidar com as emoções do dia a dia, aquelas emoções ativadas pela diversidade de situações corriqueiras que vivenciamos. A parte 1 tratou de como compreender e processar as emoções com maturidade. A parte 2 destaca e aplica os princípios bíblicos que nos ajudam rumo a um equilíbrio na vida emocional diária.

Continuar lendo

Medo de Deus ou temor de Deus?

Temor medo_post

Medo de Deus e temor de Deus são temas recorrentes no aconselhamento bíblico, bem como na Palavra de Deus. O temor de Deus dirige a vida e o ministério do conselheiro sábio, e é também aquilo que ele espera ver em seu aconselhado à medida que este conhece ao Senhor e aprende a colocar em prática os mandamentos bíblicos: “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência” (Pv 9.10).  Continuar lendo

Elyse Fitzpatrick. Vencendo medos e ansiedades

Resenha por Bianca Bonassi Ribeiro

Vencendo Medos e Ansiedades é um dos quase trinta livros escritos por Elyse Fitzpatrick, alguns deles atuando como coautora, entre os quais vários já foram traduzidos para o português. Seu foco central é incentivar mulheres  a descobrirem as raízes de seus medos e ansiedades e conduzi-las a um porto seguro, que é Jesus. O livro é recomendado a todas as mulheres, pois é uma leitura fácil e agradável, além de relevante até para aquelas que não se consideram medrosas e/ou ansiosas.
Continuar lendo

Posso SER um conselheiro?

 A maior parte da literatura sobre aconselhamento bíblico, e dos posts e mídias que encontramos na internet, está voltada para o conhecimento e a prática do ministério do conselheiro bíblico: O que o conselheiro deve saberO que o conselheiro deve fazer?  Shannon McCoy, em 5 Foundational Spiritual Disciplines of Biblical Counselors, chama a nossa atenção para um outro aspecto, fundamental: Quem o conselheiro deve serContinuar lendo

Uma ajuda crucial para que a mudança aconteça de verdade

A mutualidade cristã, conforme descrita no Novo Testamento, inclui encorajamento e ajuda rumo ao crescimento cristão e à mudança de hábitos. Ela traz benefícios a todos nós. No entanto, ela é crucial – uma questão de vida ou morte – para aqueles que estão lutando com pecados de natureza sexual. É a esse respeito que Alan Medinger escreve no artigo Como os relacionamentos de prestação de contas podem ser úteis para encorajar mudança bíblica?

Continuar lendo

Como aconselhar adolescentes que fizeram mau uso do sexo

No artigo O caminho do sábio: como falar sobre sexo com os adolescentes, após mostrar como educar os mais jovens para que saibam lidar biblicamente com esta importante área da vida e aprendam a planejar relacionamentos agradáveis a Deus, Paul Tripp sugere, passo por passo, um plano para que pais e líderes ajudem aqueles adolescentes que já caíram em pecado sexual. Continuar lendo

O efeito de uma foto “poderosa”

Depois de uma breve incursão na indústria da moda, os olhos de Bethany Baird abriram-se para como as mulheres, e particularmente as mais jovens, estão absortas em si mesmas e enganadas em seus conceitos de beleza e feminilidade. Ela  dá seu testemunho em When looking hot gets you more attention[1], um artigo que tem o propósito de despertar as mulheres para a liberdade que resulta de uma mudança radical de atitude. Continuar lendo

Como substituir um desejo por outro desejo

Na vida diária, lutamos com desejos que gostaríamos de ver desaparecer em um simples estalar de dedos. Gostaríamos que eles mudassem, e mudassem logo. Algumas vezes, são desejos por algo que contraria por natureza o plano de Deus para nós, e sabemos que satisfazê-los implica claramente praticar um pecado.  Outras vezes, são desejos por algo bom, mas desejos que crescem excessiva e desordenadamente em nosso coração, levando-nos a pecar para satisfazê-los de maneira imediata ou irrestrita, fora do tempo e do plano de Deus.

Continuar lendo

Equipando os pais para ajudar na cura de um abuso sexual

Com uma série de três artigos publicados pela Association of Biblical Counselors, Twelve Stones Ministries dirige-se aos pais para ajudá-los a lidar com seus filhos em diferentes aspectos. Na parte 1, Scott O’Malley tem por propósito equipar os pais para que instruam seus filhos a andarem na luz, evitando uma vida de pecado secreto que conduz à perdição — Preventing Your Child’s Sin from Going Underground.  A parte 2 tem por propósito equipar os pais para que respondam biblicamente ao descobrirem que seu filho se envolveu secretamente em uma vida de pecado sexual — When Your Child’s Secret Sin Comes to Light.  A parte 3, que você pode ler a seguir, tem por propósito equipar os pais para que saibam lidar com seus filhos caso estes tenham sofrido um abuso sexual. Continuar lendo

A Bíblia e a dor da infertilidade

Em sua igreja, no seu trabalho, no seu círculo de amigos há casais que lutam com a infertilidade. Sua dor costuma ser pouco compreendida e, muitas vezes, menosprezada.  No entanto, eles precisam de ajuda e cuidado amoroso. Com esse desafio em mente, Phil e Kimberly Monroe compartilham em A Bíblia e a Dor da Infertilidade sua experiência de esperanças e frustrações, tratamentos para infertilidade, procedimentos infindáveis e decepções amargas, com um alto grau de estresse. Continuar lendo

Mary Beeke. A lei da bondade

Servindo com o coração e com as mãos

Resenha por Bianca Bonassi Ribeiro

Crescendo em bondade
O livro de Mary Beeke A lei da bondade: servindo com o coração e com as mãos tem como objetivo servir de apoio a todos que desejam ideias para operacionalizar a bondade. Trata-se do primeiro livro de Mary Beeke, esposa do pastor Joel Beeke, autor de diversos livros e que contribuiu escrevendo o capítulo cinco destinado aos maridos.
Continuar lendo

Resmungar faz mal para você

resmungao_post

“Um livro que fala sobre felicidade” – é assim que Philip Tait apresenta a versão simplificada do clássico The Rare Jewel of Christian Contentment de Jeremiah Burroughs. Aprendendo a Estar Contente é a versão em português, publicada pela Editora PES.  Esse pequeno livro é uma antiga “joia rara”, publicada pela primeira vez em 1648, mas sempre atual em seu conteúdo. Continuar lendo

Compreender e aconselhar

misericordias renovadas_postQuero lembrar do que pode me dar esperança. A bondade do SENHOR é a razão de não sermos consumidos, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. Lm 3.21-23

— Quantas vezes você já leu ou ouviu este versículo?
— Muitas!
— Quantas vezes já usou este versículo para encorajar um aconselhado ou um amigo?
— Muitas, também!
— E quantas vezes você parou para considerar quais são de fato algumas das “misericórdias do Senhor” em nossa vida, e então ensinar e aplicar de forma precisa e prática no seu aconselhamento ? Continuar lendo

Gloria Furman. Sem tempo para Deus

Sem tempo para Deus_post
Intimidade com Cristo para mães atarefadas

Resenha por Bianca Bonassi Ribeiro

A maternidade à luz da eternidade
No livro “Sem tempo para Deus: intimidade com Cristo para mães atarefadas”, uma jovem e sábia mãe, Gloria Furman, presenteia-nos com um “ar fresco” dentre os livros para mães. Ela tem como propósito situar o dia a dia da maternidade no contexto da eternidade. Continuar lendo

Por que você deveria buscar um preparo teológico ministerial para o aconselhamento bíblico?

Estudo teologia_post

Quer você seja um pastor, missionário ou educador que atua integralmente no contexto ministerial, quer seja “apenas” um cristão disposto a obedecer ao chamado de Deus para ministrar a outras vidas nos mais diversos ambientes onde vive o seu dia a dia – o seu lar, o trabalho, a universidade, o círculo de amigos e conhecidos dentro e fora da sua igreja local – você precisa estar bem preparado para aconselhar biblicamente.

Continuar lendo

10 estratégias para lidar com a ira

Em 10 Cross-Focused Principles Versus Horizontal Strategies for Dealing with Anger, Tim Allchin destaca algumas das estratégias que costumam ser indicadas quando o desafio é lidar com a ira, e contrasta cada uma delas com a perspectiva bíblica. Seu propósito não é sistematizar uma metodologia para tratar a ira, mas provocar uma reflexão diante das propostas seculares. Continuar lendo