Humildade: a solução para um problema real

Mark Dutton

Por que não somos humildes?
Nosso orgulho, que é realmente a raiz de todos os nossos pecados, reporta-se a Gênesis 3, quando Adão pecou contra Deus no Jardim do Éden. Deus foi muito claro e direto quando disse: “De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”(Gn 2.16-17). Enquanto Eva foi enganada, Adão agiu de vontade própria (1Tm 2.14) – foi uma escolha consciente de fazer o que fez. Em poucas palavras, Adão era orgulhoso.
À semelhança de outro ser criado, chamado Lúcifer e também conhecido como Satanás ou Diabo, Adão não quis se submeter à autoridade de Deus e, portanto, decidiu rebelar-se e revelou o orgulho que havia em seu coração. Em quem Adão estava pensando quando fez essa escolha? Quem se tornou a pessoa mais importante no coração de Adão? Quem ditaria em última instância os limites estabelecidos no Jardim? A resposta a todas essas perguntas é “Adão”! Sua forma de pensar era egoísta e  seu coração estava cheio de orgulho. Em Romanos 5.12, Paulo escreveu: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”. Por que não somos humildes? Por causa dos efeitos da maldição do pecado na vida de cada um de nós. A resposta breve a esta pergunta é: Orgulho. E no centro do orgulho está o “eu”.[1]

Por que a humildade é tão difícil?
Todos nós somos orgulhosos, em diferentes graus, e cada um de nós luta com o orgulho em várias áreas da vida e de várias maneiras porque somos egoístas, embora estejamos crescendo em nossa caminhada com o Senhor. Algumas pessoas lutam muito com submissão à autoridade, especialmente se pensam que a autoridade está errada. E mesmo se a autoridade está errada, alguns reagem de forma orgulhosa e são rápidos em apontar as imperfeições da autoridade e procurar maneiras de projetar uma boa imagem pessoal ou presumir que seu desempenho teria sido melhor se comparado àquele da autoridade. Isso muitas vezes leva a comparações entre nós que, de acordo com aquilo que Paulo escreveu: “…revelam insensatez” (2Co 10.12). Embora tenhamos sido libertos da lei do pecado e da morte, ainda temos que enfrentar os efeitos da maldição do pecado em nossa vida. Ninguém é perfeito, e todos nós precisamos cultivar o crescimento “na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 3.18). A humildade é tão difícil porque nosso orgulho é tão forte. Queremos o primeiro lugar, queremos atenção,  pensamos estar com a razão, pensamos ser mais importantes que outros, queremos que todos façam nossa vontade, queremos ser servidos em vez de servir aos outros. Em resumo, precisamos nos despir do egoísmo e da atitude de sempre querer levar vantagem, e substituir o orgulho pela humildade.

Como nos tornamos humildes?
Até mesmo Paulo vivenciou essa guerra interior furiosa entre o orgulho e a humildade quando escreveu: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.  Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.” (Rm 7.18-25).

O primeiro passo para resolver um problema é perceber que você tem um problema. Depois de “negar a si mesmo” (que significa ter um total desprezo por si mesmo) e decidir abandonar o orgulho, há três áreas nas quais você deve se concentrar e que o ajudarão a ser humilde.

Pense a respeito de Cristo. Ele se humilhou e tornou-se obediente até à morte, e morte na cruz. Ele nos deu o modelo da perfeita humildade! Se queremos mudar do orgulho para a humildade, precisamos pensar como Cristo para que possamos agir como Cristo.

Pense a respeito da cruz. Pense sobre o sangue derramado pelo próprio pecado que você está cometendo. Quando vier a tentação do orgulho, vá ao pé da cruz e imagine o sangue de Jesus escorrendo em sua face. Considere o sofrimento por meio do qual Ele o comprou do mercado de escravos do pecado e libertou da lei do pecado e da morte para lhe dar a vida eterna!

Pense a respeito das consequências. As palavras de Pedro devem motivar todos nós a nos “despirmos” do nosso orgulho e nos revestirmos “…de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça. Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte” (1Pe 5.5,6).

Original


[1] NdT. Em inglês, a palavra orgulho é “pride”, cuja letra central é “I” (eu).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s