Um apelo de ano novo: Planeje!

John Piper

O planejamento das necessidades físicas
Suponhamos que lhe venha à mente a ideia de construir uma casa. Você senta e faz uma lista de todos os materiais necessários. Em seguida, você pede que eles sejam entregues no lote em que irá construir. A entrega é empilhada no centro do lote. No dia seguinte, um trator chega para escavar a fundação e todos aqueles materiais estão no meio do caminho, exatamente onde ele tem que cavar. Por quê?  Pela falta de um plano.

Sem um planejamento básico, você provavelmente não terá nada para comer quando se levantar pela manhã. E sem um planejamento detalhado, é impossível construir uma casa e muito menos um arranha-céu,  um centro comercial ou uma cidade. Se a provisão de abrigo, alimentação, vestuário e transporte é valiosa, então o planejamento é valioso. Não podemos viver apenas em resposta a estímulos ocasionais, sem praticar algum tipo de reflexão – aquilo que chamamos de planejamento.

O planejamento das necessidades espirituais
Todos nós sabemos e praticamos isso em relação às necessidades físicas básicas da vida. Tomamos medidas para verificar se temos alimento suficiente e roupa para nos manter aquecidos. Mas será que levamos a sério as nossas necessidades espirituais? Será que aplicamos ao planejamento do nosso ministério a mesma seriedade com que encaramos o planejamento para ganhar o sustento diário?

Eu gostaria de persuadi-lo a separar algum tempo de cada semana do novo ano para planejar e, mais especificamente, para planejar sua vida devocional e o seu ministério. Muitas vezes, a escavadeira do Espírito de Deus chega ao terreno do nosso coração pronta para começar uma grande obra de construção e descobre que, devido ao mau planejamento, existem pilhas de coisas desordenadas em seu caminho. Nós não estamos prontos.

Espero motivá-lo mediante quatro exemplos de planejamento na Bíblia: algumas ilustrações em Provérbios, o planejamento do apóstolo Paulo, o planejamento de Deus e, em seguida, o planejamento de Jesus.

As ilustrações em Provérbios
Provérbios 6.6-8 – “Observe a formiga, preguiçoso, reflita nos caminhos dela e seja sábio! Ela não tem nem chefe, nem supervisor, nem governante, e ainda assim armazena as suas provisões no verão e na época da colheita ajunta o seu alimento.”
A formiga é exemplar não só porque ela trabalha duro, mas também porque faz planos para o futuro. Durante o verão, ela lembra que haverá escassez no inverno, e faz provisão para suprir suas necessidades durante o frio.

Provérbios 14.15 – “O inexperiente acredita em qualquer coisa, mas o homem prudente vê bem onde pisa.”
A diferença entre planejar e não planejar está em você olhar para onde caminha rumo ao futuro ou concentrar toda sua atenção no imediato, naquilo que está à sua frente. Sem fazer um planejamento, você ficará à mercê de outras pessoas que procuram dar palpites sobre como agir agora para ser feliz. É assim que “o inexperiente acredita em qualquer coisa, mas o homem prudente vê bem onde pisa”. O sábio  considera os dias que virão e aquilo que eles poderão trazer, e ele pensa sobre a melhor forma de se preparar para cumprir seus propósitos.

Provérbios 15.22 – “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros.”
A sabedoria do planejamento é tida como certa aqui, e o escritor simplesmente nos dá conselhos de como fazer planos bem-sucedidos: não seja tão independente a ponto de pensar que você não precisa de conselhos. Leia a sabedoria daqueles que vieram antes de você. Converse com pessoas experientes e sábias. Observe o proceder de outros e aprenda com seus erros e acertos.

Provérbios 16:3 – “Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.”
Mais uma vez o planejamento é tido por certo. A questão é como você pode planejar de tal forma que aquilo que você produzir tenha valor permanente e não acabe de um dia para outro. A resposta é entregar seus planos ao Senhor, ou  seja, procurar sempre a orientação e capacitação do Senhor em seu planejamento e confiar na sabedoria de Deus em lugar de confiar na sabedoria humana. Desta forma, seus planos darão frutos permanentes.

Provérbios 24.27 – “Termine primeiro o seu trabalho a céu aberto; deixe pronta a sua lavoura. Depois constitua família.”
Este texto indica, provavelmente, que era importante ser capaz de sustentar-se pela produtividade do campo antes de estabelecer sua casa. Talvez você possa dizer ao jovem de hoje: consiga um emprego antes de se casar ou, pelo menos, planeje como você sustentará o novo lar que pretende formar.

Provérbios 31.15,16  – “Antes de clarear o dia ela se levanta, prepara comida para todos os de casa, e dá tarefas às suas servas. Ela avalia um campo e o compra; com o que ganha planta uma vinha.”
A dona de casa modelo é também um modelo no planejamento em dois aspectos. Ela se levanta cedo e atribui tarefas às suas servas. Você não pode atribuir tarefas a outros se não tiver nenhum plano a respeito daquilo que gostaria de ver realizado no dia. Em seguida, ela avalia um campo e o compra. Que tipo de consideração ela faz? Ela avalia como aquele campo se encaixa no seu planejamento para o cuidado da casa.

Conclusão com base em Provérbios – Um planejamento cuidadoso é parte daquilo que caracteriza uma pessoa sábia e produtiva. Deixar de planejar é uma postura insensata e perigosa. Isto é verdade ainda que Provérbios nos ensine que desconhecemos aquilo que o futuro pode trazer. “Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos” (Pv 16.9). O fato de que o Senhor é quem está no controle final do futuro não significa que não devemos planejar. Significa que devemos entregar o nosso trabalho de planejamento ao Senhor e confiar nEle para firmar nossos planos de acordo com Seus propósitos amorosos.

O planejamento do Apóstolo Paulo
Consideraremos apenas para um exemplo de planejamento na vida de Paulo, entre os muitos que podemos encontrar no livro de Atos e em suas cartas.

Romanos 15.20, 23-26, 28 – “Sempre fiz questão de [i.e., planejei] pregar o evangelho onde Cristo ainda não era conhecido, de forma que não estivesse edificando sobre alicerce de outro… Mas agora, não havendo nestas regiões nenhum lugar em que precise trabalhar, e visto que há muitos anos anseio vê-los, planejo fazê-lo quando for à Espanha. Espero visitá-los de passagem e dar-lhes a oportunidade de me ajudarem em minha viagem para lá, depois de ter desfrutado um pouco da companhia de vocês. Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. Pois a Macedônia e a Acaia tiveram a alegria de contribuir para os pobres dentre os santos de Jerusalém…. Assim, depois de completar essa tarefa e de ter a certeza de que eles receberam esse fruto, irei à Espanha e visitarei vocês de passagem.”

Aqui está um exemplo típico de como o apóstolo Paulo cumpriu sua missão. Penso que devemos aprender com ele que o planejamento é essencial para um ministério produtivo. E isso vale tanto para o seu ministério pessoal quanto para a estrutura mais complexa dos ministérios da igreja. Paulo foi o maior plantador de igrejas que já viveu. Ele trabalhou mais que qualquer outro para a propagação do evangelho de Cristo. Creio, portanto, que é aconselhável levar a sério seu método. O planejamento fazia parte de seu método.

Paulo tinha uma orientação geral: ele queria pregar onde ninguém havia pregado antes. Com base nisso, ele desenvolveu um plano específico. Ele levaria a oferta a Jerusalém e, logo em seguida, iria a Roma para estabelecer uma base ocidental de onde partiria para a Espanha.

O que torna isso particularmente significativo é que, tanto quanto sabemos, o plano falhou. Paulo foi preso em Jerusalém, foi para Roma como prisioneiro e, provavelmente, nunca chegou à Espanha. É exatamente como vimos em Provérbios. Deus é Aquele que, em última instância, estabelece o futuro. No entanto, devemos planejar. Deus se serve do nosso planejamento, mesmo que Ele altere a execução. Por exemplo, se Paulo não tivesse planejado usar Roma como base de operações para uma viagem à Espanha, ele provavelmente nunca teria escrito uma das cartas mais importantes que o mundo já conheceu: a Epístola aos Romanos. O planejamento é fundamental na vida e no ministério cristão – mesmo sabendo que ele está debaixo do controle de Deus.

O planejamento de Deus
A razão fundamental para planejarmos é que Deus é um Deus que planeja e nós fomos criados à Sua imagem para exercer domínio sobre a terra debaixo do Seu senhorio. Creio ser impossível concebermos um Deus que não age de acordo com Seu planejamento eterno, ou seja, um Deus que responde automaticamente a estímulos em lugar de praticar ações deliberadas que se encaixam em um propósito [plano] sábio.

Isaías 46..9,10 – “Lembrem-se das coisas passadas, das coisas muito antigas! Eu sou Deus, e não há nenhum outro; eu sou Deus, e não há nenhum como eu. Desde o início faço conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito permanecerá em pé, e farei tudo o que me agrada.”

Efésios 19,10 – “E nos revelou o mistério da sua vontade, de acordo com o seu bom propósito que ele estabeleceu em Cristo, isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos.”

Atos 2.23 – “Este homem [Jesus] lhes foi entregue por propósito determinado e pré-conhecimento de Deus”.

Uma vez que Deus é um Deus que faz todas as coisas de acordo com plano, convém-nos proceder nos aspectos mais importantes da vida com prudência e planejamento, e não a esmo.

O planejamento de Jesus
Jesus tinha uma missão a realizar, e Ele a cumpriu com prudência e planejamento. Quando Sua mãe o incentivou a fazer um milagre nas bodas de Caná, Ele disse: “A minha hora ainda não chegou” (Jo 2.4). Havia um momento planejado e designado para a revelação do Seu poder. Ele ficaria dentro do planejado.

Lucas 9.51 diz: “Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém”. Ele sabia que seguir o plano significaria encontrar a morte em Jerusalém, mas não retrocedeu. Ele não foi levado contra Sua vontade. O plano do Pai era Seu plano. Em João 10.17,18, Ele disse: “…eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai”.

Planeje as coisas importantes em sua vida
O apelo específico que faço neste novo ano é que você separe tempo para planejar as coisas mais importantes em sua vida.

Planeje como você passará tempo com seu cônjuge para aprofundar e fortalecer o relacionamento.
Planeje como você passará tempo com seus filhos, divertindo-se e ensinando.
Planeje como você fará o exercício físico necessário para ter um corpo saudável.
Planeje como você dormirá o suficiente.
Planeje o quanto você comerá e quais limites colocará para si mesmo.
Planeje suas férias para que elas proporcionem verdadeiro descanso e renovação espiritual.

Mais importante de tudo, planeje como a oração e a meditação na Palavra de Deus serão parte significativa de sua vida. Sem um plano estas coisas importantes serão sempre empurradas para trás pelas pressões do urgente.

Faça do planejamento uma atividade corriqueira de sua vida
O planejamento não deve funcionar apenas para aquilo que você fará hoje à noite ou amanhã. Ele deve ser parte regular da sua vida. Minha expectativa é que a equipe ministerial de nossa igreja separe a cada mês um dia para orar e planejar o nosso ministério, além do tempo que eu espero que cada um de nós invista semanalmente para planejar seu trabalho específico da semana.

Meu apelo a você é que reserve, a cada semana, algum tempo para planejar, e para planejar especialmente sua vida de oração e estudo da Bíblia. Por exemplo, visto que o domingo é o primeiro dia da semana (não o último dia do fim de semana!), e ele pertence ao Senhor, separe dez ou quinze minutos a cada domingo e pense naquilo que deve estar em sua agenda de oração e estudo durante a semana. Pense em como Deus talvez queira usá-lo durante a semana de forma especial. Planeje as cartas que precisa escrever, os versículos bíblicos que quer ensinar a seus filhos, as visitar que quer fazer, os livros que quer ler, os vizinho com os quais quer conversar, e assim por diante.

Provérbios nos ensina a planejar. O maior missionário que já viveu foi um planejador. Deus é um Deus que faz todas as coisas de acordo com um plano. E Jesus se dispôs a ir a Jerusalém por causa do maior plano de amor jamais pensado.

Ele planejou para nossa alegria, devemos fazer planos para Sua glória.

Fonte: Desiring God
Original: A New Year’s Plea: Plan!
Tradução: Conexão Conselho Bíblico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s