Em meio à tempestade espiritual, confie nos seus instrumentos.

tempestade_post

Jon Bloom

“Desorientação espacial’ é o que um piloto experimenta quando ele voa em condições climáticas desfavoráveis, que o impedem de poder enxergar o horizonte ou o solo.  Os pontos de referência que lhe dão orientação desaparecem. Suas percepções tornam-se pouco confiáveis. Ele não pode mais ter certeza de estar subindo ou descendo. Isso pode ser mortal. Foi isso que matou John Kennedy Jr.[1]

A única maneira de um piloto superar a desorientação espacial é confiar nos instrumentos de sua cabine mais do que em sua intuição para dizer-lhe o que é real. Essa é a razão por que os instrutores de voo forçam seus alunos a aprenderem a pilotar apenas pelos instrumentos.

Há um paralelo espiritual. Eu já experimentei isso. Num dia primaveril, em maio de 1977, eu voei em plena tempestade espiritual.

Os detalhes são muito longos, mas eu tive, essencialmente, uma crise de fé.  Entrei em uma tempestade de dúvidas como eu nunca havia experimentado antes.  Deus, a quem eu havia conhecido e amado desde a minha infância, de repente ficou nublado em minha visão espiritual.  Eu não podia vê-lO em nenhum lugar. Ele ficou muito escuro em minha alma e os ventos do medo sopraram com força de furacão.  A turbulência da falta de esperança era violenta.  Sem saber com certeza se eu estava subindo ou descendo, constatei minha desorientação espacial.

À primeira vista, entrei em pânico. Recuei, em uma tentativa desesperada de me orientar. Certo dia, um pensamento atingiu-me com uma clareza incomum: “Jon, pilote pelos instrumentos.  É para isso que eles servem. Pare de confiar em suas percepções. Confie no que os instrumentos lhe dizem”.

Nos anos que antecederam essa experiência, Deus havia me treinado de várias maneiras a crer em Sua Palavra, e eu sempre a tive por confiável.  Agora, porém, diante dessa furiosa tempestade, quando tudo parecia incerto, eu tive de escolher: confiar em minha percepção cheia de dúvidas ou confiar na Palavra de Deus.

Visto que minhas dúvidas estavam me levando a mergulhar em confusão e escuridão profundas, e já que as promessas de Deus haviam me dado mais luz e esperança do que qualquer outra coisa que eu conhecesse, decidi orientar-me pela Bíblia até ter evidências suficientes para “determinar” que se tratasse de um instrumento defeituoso.

Foi duro e assustador.  Muitas vezes, lutei contra a tentação de abandonar os instrumentos e seguir pelo meu senso da verdade. Mas eu tinha experiência e conhecimento suficientes da Biblia para saber onde esse “senso” pode levar.  Então continuei minha leitura devocional da Bíblia, continuei a orar e a participar da igreja e pequenos grupos.  Abri meu coração para amigos de confiança e mentores, e procurei conselho.  Lembro-me de ouvir John Piper dizer: “Jon, a rocha verdadeira sob seus pés não vai continuar a parecer areia por muito tempo”. Quando ele disse isso, meu pensamento foi “Tomara que você esteja certo, mas eu duvido de que esteja”.

Minhas dúvidas provaram que eu estava errado. Depois de um longo tempo de escuridão, Deus perfurou as nuvens com Sua luz. Eu nunca vou me esquecer daquele dia. Eu gostaria de poder ter tempo para explicar, mas essa é uma longa história.  E uma vez que os caminhos e o tempo de Deus são diferentes para cada um de nós, talvez apenas seja importante você saber que Deus trouxe um fim à tempestade.  Ela não acabou imediatamente, mas como o Sol da vida rompeu, a tempestade dissipou-se e, finalmente, eu voltei a voar em céu claro!

As promessas de Deus provaram ser instrumentos confiáveis, mesmo que eu tenha duvidado delas no meio da tempestade. Eu não me espatifei no solo. Na verdade, a tempestade me fez muito bem. Aprendi mais do que nunca depois de andar (ou voar) pela fé, e não por vista (2Coríntios 5.7). Agradeço a Deus cada minuto daquela horrível tempestade!

Jesus realmente entende o que significa a escuridão da tempestade (Hebreus 4.15). Suas tempestades, do Getsêmani ao Gólgota, foram muito piores do que qualquer coisa que você e eu possamos conhecer.  E Ele passou por isso voluntariamente, por nós, para que pudéssemos ser resgatados de todas as nossas tempestades, principalmente a tempestade final da ira de Deus contra nosso pecado.  Essa é a razão dEle ter vindo.  Sua tempestade O derrubou para que as nossas tempestades possam nos fazer crescer.

Se você ou alguém que você ama está voando em meio a uma tempestade e perdendo a esperança, lembre-se de que suas percepções, por mais que pareçam reais, não são confiáveis.  Como alguém que já testou as próprias percepções em inúmeras tempestades, posso dizer com confiança:  voe baseando-se nos instrumentos que Deus providenciou para você.  Eles não vão falhar.

[1] Este artigo da Wikipedia explica como uma noite de densa neblina contribuiu para a desorientação espacial que levou à queda do avião de Kennedy.

_________________________

Original: When you’re in a spiritual storm, trust your instruments – Desiring God
Tradução de Cláudia Sacchetto