8 sinais de alerta de um relacionamento abusivo no namoro

Darby Strickland

Já conversei com várias mulheres que sofreram abuso no casamento e, à medida que suas histórias foram se desenrolando, a maioria me disse algo como: “Ele não era nada disso antes de nos casarmos”. Algumas até compartilharam memórias vívidas de que foi como se uma chavinha tivesse sido virada durante a lua-de-mel, e tudo mudou. Para outras, o abuso desenvolveu-se no decorrer do tempo e cresceu em intensidade. Entretanto, esta é a pergunta comum a todas elas: “Como não percebi isso a tempo?”.

O abuso não começa parecendo-se com abuso. Na verdade, ele geralmente assume a forma de um relacionamento romântico ideal: atenção total no início do relacionamento, cartões românticos, presentes caros e visitas inesperadas. Existe uma intensidade que pergunta continuamente “Você quer ser minha?”. Na verdade, porém, está dizendo “Você vai ser minha”.

Namorado devoto ou dominador?
Logo nas primeiras fases do relacionamento, quem não quer ser cercada de atenção? É uma sensação maravilhosa quando alguém quer vê-la constantemente. Às vezes, você pode estar tão envolvida nesse estágio do relacionamento que não percebe que a outra pessoa é ciumenta e, talvez, até possessiva em relação ao seu tempo. Essas coisas, entretanto, podem ser um sinal de algo além de intensidade; elas podem ser sinais do início de um controle.

Ana estava toda empolgada. Léo mostrava ter os mesmos interesses que ela e estava sempre ansioso para sair com ela. Ele deixava presentes e bilhetes no escritório onde ela trabalhava. Todos comentavam como ele era gentil.

Certo final de semana, uma amiga de longa data estava de passagem pela cidade e Ana quis sair com ela, mas Léo ficou chateado por não poder ver Ana naquele dia. Ele se mostrou mal-humorado, e depois ficou se desculpando. Naquela noite, ela recebeu oito mensagens enquanto jantava com a amiga, mas ela estava ocupada demais para responder. No dia seguinte, Léo fez com que ela se sentisse culpada por aproveitar a visita da amiga ao ponto de “esquecê-lo completamente”. Ana sentiu-se terrível por ter ferido os sentimentos dele e começou a ficar mais atenta para responder às mensagens de Léo.

Fazendo uso da culpa, Léo conseguiu controlar como e quando Ana retornava suas mensagens. Finalmente, Léo passou de modo sutil a demandar mais e mais do tempo de Ana, o que fazia com que ela o atendesse em detrimento de suas amigas. Aos poucos, Léo tomou conta por completo do seu mundo. Naquele momento, não parecia algo ruim. Ana gostava mesmo de Léo, e eles sempre se divertiam quando estavam juntos. No entanto, se Léo realmente quisesse o melhor para Ana, ele teria dado seu apoio para que ela cultivasse outros relacionamentos que glorificavam a Deus. Léo queria que tudo girasse em torno dele; ele queria receber a adoração de Ana (Gl 5.16-26).

A intenção de Deus para a intimidade
Deus criou o casamento para ser uma maneira de o marido e a esposa ajudarem-se mutualmente para que ambos se tornem quem Deus os criou para ser (Gn 1.27, 28). Não só isso, mas a aliança com o cônjuge tem a intenção de refletir gloriosamente a aliança de Cristo com a Igreja, Sua Noiva (Ef 5.25-33).

Para entender como Deus convida os cônjuges a se relacionarem um com o outro, devemos olhar como Cristo ama a Igreja. Seu amor pela Sua Igreja é sacrificial, fiel, purificador, honesto e santificador (Ef 5.1, 2). Ele a trata com honra e a serviu com um custo pessoal alto (Ef 5.25-27). O amor de Cristo é caracterizado pela humildade e serviço (Fp 2.5-11). Queremos encorajar relacionamentos nos quais essas características estão presentes e em crescimento, e alertar para que se tome muito cuidado com relacionamentos nos quais as demandas egoístas é que crescem.

Os oito sinais de um namoro abusivo
Os relacionamentos que não são saudáveis podem começar com comportamentos sutis cuja raiz está no anseio por poder e controle. Essencialmente, um homem abusador quer que sua parceira seja devota a ele e àquilo que ele considera como suas necessidades. De uma maneira muito corrupta, ele busca usurpar a posição de Deus, querendo que os outros o adorem e lhe obedeçam.[1]

Para detectar a presença de abuso, procure por tendências egoístas e opressivas. Identificar esses padrões na fase inicial do relacionamento permite maior objetividade. Uma vez que o coração da pessoa está envolvido, com culpa e manipulação enraizadas, é difícil dar um passo para trás e avaliar o relacionamento.

[Apesar de ser possível que homens sejam vítimas de abuso durante o namoro, o foco deste artigo é o abuso de mulheres, e as perguntes a seguir são, portanto, voltadas para mulheres que sofrem abusos. As mesmas perguntas podem ser adaptadas para homens.]

1- Intensidade
O relacionamento se aprofundou muito e de maneira muito rápida? Um homem pode sobrecarregá-la com seus sentimentos ou seu desejo de estar com você. Ele está jurando amor eterno e bombardeando-a com um exagero de gestos de amor como cartas ou presentes? Isso faz com que você sinta que deve algo a ele (1Co 13.4, 5)?

2- Ciúme
Ele fica chateado quando você passa tempo com outras pessoas? Ele a acusa de traição? Ele aparece de forma inesperada em seu trabalho para mostrar aos outros que você está namorando com ele? Ele monitora que você faz, o seu celular, ou a segue? Ele é irracional quanto aos seus outros relacionamentos? O que ele faz quando está com ciúmes (Tg 3.16)?

3- Manipulação
Ele tenta influenciar suas decisões e ações – sua maneira de se vestir, comer ou gastar seu dinheiro? Ele se esforça em convencê-la a fazer coisas que você não quer fazer? Ele a pressiona sexualmente ao dizer que não consegue se segurar ou que precisa de sua ajuda para lutar contra a pornografia (Ef 5.3-5)? Você fica com medo de fazer algo que pode deixá-lo bravo ou chateado?

4- Isolamento
Ele insiste que você passe todo o seu tempo livre com ele? Você consegue manter seus outros relacionamentos por meio de ligações e visitas? Ele está tentando criar uma barreira entre você e sua família? O tempo que você passa com sua família e amigos é motivo de brigas (Ec 4.12)?

5- Sabotagem
Ele precisa de você quando você tem que dedicar seu tempo aos estudos ou trabalho? Ou ele tem um ataque naqueles momentos em que você decide fazer alguma outra coisa? Ele já tentou arruinar sua reputação ou criticar você e suas conquistas (Fp 2.1-4)? Ele já quis fazê-la acreditar que você estava louca ao esconder seu celular, dinheiro ou chaves?

6- Críticas
Ele a insulta com palavras ou faz piadas a seu respeito (Pv 12.18)? Ele faz comentários sobre sua aparência de um jeito que a deixa insegura? Ele ridiculariza sua inteligência?

7- Culpa
Ele a trata como se tudo fosse sua culpa? Ele ameaça cometer um desatino caso você não faça o que ele quer? Ele exagera em discussões de pouca importância e faz com que você se sinta mal por pensar diferente dele?

8- Transferência de culpa
Ele costuma culpá-la pelos erros dele? Ele desculpa seu comportamento dizendo que “foi o álcool”? Ele atribui suas escolhas à mãe ou antiga namorada?

Como detectar a maneira de pensar abusiva
Essas categorias não são fáceis de avaliar. Como no namoro são poucas as ocasiões nas quais surge um conflito, se aparecerem apenas dois ou três sinais, eles já devem ser investigados e levados a sério.

Estas são possíveis perguntas que ajudam a detectar algumas das tendências citadas acima.
O que acontece quando…
… você dá ao seu namorado um feedback negativo?
… você expressa seus desejos?
… você tem uma preferência diferente da dele?
… ele fica desapontado com você? Ele a pune?
… há conflitos? Como eles são resolvidos?
… ele interage com sua família? Ele é respeitoso?
… ele fala das ex-namoradas? Ele as difama?
… ele quer ter intimidade física? Ele a força ou respeita os limites?

Como avaliar as atitudes
Somos todos pecadores. Todos nós precisamos da graça e do perdão de Deus, e as duas partes do casal podem contribuir para um conflito relacional. Entretanto, sei de mulheres que aplicam erroneamente os ensinos acerca de compromisso, respeito e amor em situações em que precisariam estar mais atentas aos pecados que outras pessoas cometem contra elas. Aqueles que cometem abusos aproveitam-se de corações dispostos ao arrependimento, procurando oportunidades para iludir cada vez mais suas vítimas.

Ao avaliar um namoro, encoraje as mulheres a olhar para o próprio coração, mas também a avaliar o caráter do namorado e o estilo do relacionamento. Não basta apenas olhar para o potencial da pessoa; é preciso considerar seu comportamento atual (Mt 7.16, 17). Ajude essas mulheres a fazer as seguintes perguntas:
— Este homem ama a mim e aos outros de modo sacrificial ou egoísta?
— Ele quer que eu adore cada vez mais ao Senhor, ou ele quer que eu o adore?

Pense em outras possíveis maneiras para ajudar as moças solteiras a identificar comportamentos problemáticos. Ensine-lhes que alguns pecados e comportamentos devem ser motivos reais para um rompimento (2Pe 2.20).

Ajudando uma amiga
Se você está preocupada com uma amiga, faça essas perguntas, mas também procure identificar outros sinais de abuso. O abuso durante o namoro pode chegar a uma expressão física e sexual.

Nenhum tipo de abuso deve ser tolerado. No entanto, o amor, o medo de terminar o relacionamento o ou medo da ira de um namorado pode fazer com que uma moça permaneça no relacionamento. Tenha em mente que você talvez precise ajudá-la a sair dessa situação de forma segura.

Deus quer o melhor para Suas filhas. Ele promete guiá-las e cuidar de cada uma delas, e ainda promete:
“Eu o instruirei e lhe ensinarei o caminho que você deve seguir; e, sob as minhas vistas, lhe darei conselho” (Sl 32.8).
Que privilégio é fazer parte de Seu cuidado para com o Seu povo!


[1] Para entender a mentalidade do opressor, veja o livro de Darby A. Strickland Domestic Abuse: Recognize, Respond, Rescue (Phillipsburg, NJ: Presbyterian & Reformed, 2018).


Darby Strickland serve na Christian Counseling & Educational Foundation (CCEF), na área de aconselhamento para casamentos abusivos . Ela escreveu dois livretos sobre abuso e trabalhou com uma equipe para desenvolver o currículo Becoming a Church that Cares Well for the Abused, um treinamento gratuito na Web para líderes que ministram a vítimas de abuso.


Original: 8 Warning Signs of Dating Abuse
Traduzido com permissão.

Tradução: Camilla Rezende
Revisão: Conexão Conselho Bíblico