Essa roupa “cai bem”?

Mary Kassian

“Cai bem” ou “não cai bem”? 
Kosmios é a forma descritiva do termo grego kosmos (colocar em ordem, ajustar, adornar ou decorar), de onde deriva a nossa palavra cosmos − o universo. Os gregos consideravam o universo um todo ordenado, integrado e harmonioso. Kosmos é o oposto do caos. Portanto, quando Paulo escreve às mulheres que o seu traje deve ser kosmio, ele quer dizer que, como o universo, cada parte deve estar disposta de forma harmoniosa com as demais. Cada parte deve “cair bem”, isto é, ser apropriada ou adequada. Dado o contexto, creio que Paulo estava querendo dizer que o nosso traje deve “cair bem” em uma série de diferentes aspectos.

Em primeiro lugar, sua roupa deve ser apropriada, condizente e consistente com o seu caráter como filha de Deus. No entanto, ela deve também “cair bem” com seu tipo físico, sua feminilidade, seu esposo, as demais peças que você está vestindo e a ocasião e lugar em que você pretende usá-la. Há uma quantidade tremenda de orientação nesta pequena palavra − apropriada. Ela desafia você a avaliar as suas roupas, sapatos, bolsas, maquiagem e cabelo, de vários ângulos e como parte do conjunto harmonioso e integrado de sua vida, para alinhar aquilo que é visível com o invisível e o temporal com o eterno. Ela desafia você a relacionar suas decisões cotidianas com uma perspectiva cósmica.

Gosto da palavra que Paulo escolheu. Ela tem enormes implicações. Kosmios significa que a “aparência” de uma mulher cristã deve unir consistentemente o interior e o exterior. Isso desafia aqueles que colocam uma ênfase excessiva na aparência externa, bem como aqueles que negligenciam sua aparência pessoal. Ela é uma repreensão para as mulheres que se vestem de maneira extravagante. É uma repreensão para aquelas que se vestem sedutoramente. Mas também é uma repreensão para aquelas que pensam que “santo” significa desmazelado, feio, sem feminilidade e fora de moda. Usar uma roupa apropriada indica que andar por aí o tempo todo de calças jeans e camiseta é tão inadequado quanto estar obcecada com roupas elegantes. Isso significa que a aparência de uma mulher deve ser bem cuidada. Ela deve ser agradável e atraente, por dentro e por fora.

É decente ou indecente? 
A segunda palavra, aidōs, tem como base o termo grego para vergonha e desgraça. A palavra expressa um misto de modéstia e humildade. Quando penso em um retrato verbal que personifique esse conceito, penso em alguém aproximando-se de Deus cabisbaixo.  Ela envolve um senso de inadequação, inferioridade ou indignidade. Ela sugere vergonha, mas também um sentimento correspondente de reverência e honra para com a autoridade legítima. É o oposto de insolência, imprudência, desrespeito ou ousadia. O olhar cabisbaixo é o oposto do olhar desafiador.

Será que vestir-se com humildade significa ter autoconsciência? Não. Significa que sua roupa diz a verdade a respeito do Evangelho. Sua roupa mostra ao mundo que Jesus cobre a sua vergonha e faz com que você seja decente. Suas roupas cobrem a sua nudez como vestir-se de Cristo cobre o seu pecado.

Vestir-se “com os olhos cabisbaixos” significa escolher roupas que são decentes aos olhos de Deus… roupas que não são provocantes, sedutoras nem privilegiam a nudez. Quando você se veste decentemente, você reconhece que Deus instituiu as roupas para cobrir a nudez do seu corpo e não para chamar a atenção para ele. Você se veste por respeito a Ele, ao Evangelho e seus irmãos em Cristo − e por respeito a quem Ele quer que você seja. Decência significa que você concorda com Deus sobre o verdadeiro propósito das roupas e coloca de lado seus interesses pessoais para se vestir de modo que exalte a Cristo.

Então, quando estiver provando aquela saia, separe tempo para se sentar, curvar-se e se levantar diante do espelho, e pergunte a si mesma: “Esta saia é decente? Ela cumpre o papel que deve cumprir? Ela me cobre devidamente? Ela revela os contornos da minha nudez ou exalta o Evangelho de Cristo?

É modesta ou extravagante? 
A última coisa que você deve perguntar sobre a sua roupa é se ela é modesta ou extravagante. Paulo usa a palavra grega sōphrosunē, que significa “de mente sadia, restringindo desejos e impulsos pessoais, com domínio próprio e sóbrio”. A palavra indica que nosso traje deve ser razoável e não excêntrico. Devemos controlar os nossos impulsos e evitar os extremos da moda, dos penteados e maquiagem. Também devemos evitar o gasto de quantias absurdas e não encher nossos armários com uma quantidade absurda de roupas. Devemos governar nossas escolhas no que diz respeito ao guarda-roupa com um senso de moderação, simplicidade e domínio próprio. Se a roupa é absurdamente extravagante e cara, ou se é absurdo você comprar mais uma roupa, então você deve deixar isso de lado.

Entender o propósito das roupas e fazer a si mesma estas três perguntas − “Cai bem”? É decente? É modesta? − ajudará você a descobrir como se vestir. E não se esqueça de incluir o seu “Ajudador” no processo. O Espírito Santo é uma inestimável fonte de ajuda quando se trata de descobrir se sua aparência glorifica ou não a Deus. Se seu coração estiver limpo e você buscar Sua orientação, Ele será o seu consultor pessoal quanto ao guarda-roupa e lhe ensinará o que vestir e o que não vestir.

Original:  What Not to Wear

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s