E o que você tem feito para mudar?

Julie Ganschow

Um dos desafios do aconselhamento bíblico é ajudar o aconselhado a desenvolver um plano de ação para a mudança.  É muito comum uma aconselhada me dizer que ela tem “orado” e “decorado versículos”, ou que ela tem “tentado” fazer uma coisa ou outra com respeito a algum pecado específico que ela precisa vencer.

Embora a oração e a Palavra de Deus sejam fundamentais na renovação da mente para a mudança de comportamento, percebo que a maioria dos aconselhados contentam-se em parar nesse ponto como se orar, memorizar e “tentar mudar” fossem suficientes para obter uma mudança. Esse tipo de atitude faz as disciplinas espirituais parecerem com uma “varinha mágica” espiritual. Muitos aconselhados têm um conhecimento bíblico amplo e uma aplicação prática limitada.

Tem que haver um equilíbrio entre a vida de oração, leitura e estudo da Palavra de Deus, e o esforço para mudança. É claro que a oração é a comunicação com Deus e que algumas vezes, quando estamos trabalhando uma questão de pecado, é necessário suplicar e clamar a Deus para que Ele transforme o coração.  Humildemente, peça a Deus para lhe dar Sua perspectiva sobre o pecado em questão.  Implore Sua ajuda para ver o pecado como Ele vê, e peça que Ele lhe dê um “ódio santo” por aquele pecado.

As Escrituras são um instrumento para nos convencer do nosso pecado e do que é necessário mudar.  O Santo Espírito, agindo no coração através da Palavra de Deus, é quem nos convence do pecado. A Bíblia é o único padrão imutável para o cristão. “Assim diz o Senhor” é tão verdadeiro hoje quanto era há 6000 anos. Precisamos da Palavra de Deus para quebrantar nosso coração e nossa consciência, alertar-nos para a necessidade de mudança  e nos instruir em como mudar .

Deus nunca nos diz o que fazer sem nos dizer como fazer.  Ele nunca nos diz o que tem que ser mudado, sem nos dar uma atitude ou uma ação alternativa.  Memorizar passagens das Escrituras para lembrar em momentos de tentação e luta é realmente importante, mas não podemos parar por aí. Tenho  aconselhado pessoas que ficam chocadas quando descobrem que não é suficiente somente conhecer a Palavra de Deus.

Quando eu pergunto o que elas têm feito com todo o conhecimento acumulado, e os versículos decorados, a resposta que muitas vezes recebo é algo como: “Eu tento fazer o melhor” ou “Eu estou tentando, mas tenho um longo caminho pela frente” ou “Eu estou tentando, mas ninguém é perfeito”.  Muitas vezes, uma investigação mais a fundo de quais medidas práticas foram tomadas recebe como resposta um olhar vago e uma ou outra desculpa para a falta de ação.

O processo da transformação bíblica é mais do que “fazer tentativas” ou orar!  A oração é essencial, juntamente com a meditação na Palavra de Deus e a súplica pela ação do Santo Espírito em nossa vida. Mas a transformação não começa nem acaba aí. Esses são os passos básicos, e é necessário que nos esforcemos também!  A mudança bíblica requer que coloquemos em prática aquilo que aprendemos. Faça um plano de mudança, um plano de ação que inclua como você colocará em pratica os novos comportamentos aprendidos na Bíblia.

Seu plano de ação tem que ser concreto e específico e deve incluir tanto aqueles velhos pensamentos, crenças, desejos e ações dos quais você quer se despir, quanto aqueles de que você tenciona se revestir [cf. Ef 4.22-24]. Concreto é importante e específico também é importante porque se você não determinar de antemão um plano de ação para vencer a tentação pecaminosa, você não terá nada para colocar em prática quando esse momento chegar.

Desenvolva seu plano começando por aquela área na qual o pecado é mais frequente, aquela que mais necessita de mudança, algo que você sabe que é habitual. Com papel e caneta em mãos, descreva em detalhes o processo desse hábito pecaminoso: pense em onde frequentemente ele acontece, com quem você costuma estar, o que provoca esse pecado e o que, especificamente, você diz, faz ou pensa.

Relembre quando você incorreu nesse pecado pela última vez, trazendo à mente os detalhes que descrevem o processo. Tendo feito isso, escreva o que você vai pensar, dizer e fazer na próxima vez que estiver prestes a pecar.  E cada vez que você falhar, examine em que ponto você se desviou do plano traçado, e faça as mudanças necessárias.  Isso parece tão simples, mas eu não posso deixar de enfatizar o valor de ter um plano como esse e trabalhar de acordo com ele!

Isso exige perseverança e você pode ter certeza de que o Senhor lhe dará muitas oportunidades de praticar seu plano e obter vitória. Lembro-me do que Paulo diz em Romanos 5. 3-5: “E náo somente isso, mas também nos gloriaremos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência, e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado”.

Original: But What Have You Done About It?Biblical Counseling for Women
Tradução: Cláudia Sacchetto.  Revisão: Maria Cecilia Alfano

Um comentário sobre “E o que você tem feito para mudar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s