Mas eu não sou um “conselheiro”!

mutualidade_post

O aconselhamento bíblico encontra lugar entre os ministérios da igreja local, mas não é responsabilidade apenas de alguns. Pastores e líderes são particularmente chamados por Deus para aconselhar. No entanto, o aconselhamento também é praticado no dia a dia por amigos, irmãos e pais sábios. Os cristãos que conhecem e vivem o que Deus diz em Sua Palavra, que recebem e aplicam os conselhos bíblicos, são chamados para aconselhar uns aos outros na mutualidade cristã.

A Palavra de Deus é clara:
E certo estou, meus irmãos, sim, eu mesmo, a vosso respeito, de que estais possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para vos admoestardes uns aos outros. Rm 15.14
Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria. Cl 3.16a
Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos reciprocamente. 1Ts 5.11a

Crescer em conhecimento de Deus e Sua Palavra, expressar o fruto do Espírito no viver diário, preparar-se o melhor que puder e aproveitar as oportunidades para aconselhar é responsabilidade sua também, ainda que você não seja um pastor nem ocupe um cargo formal de “discipulador” ou “conselheiro” em sua igreja local.

No artigo Mas afinal, o que é o aconselhamento bíblico, Edward Welch explica como acontece essa dinâmica.

Em nossos dias, aqueles que orientam outros no processo de aplicar a Palavra de Deus à vida costumam ser chamados de “conselheiros”. Também podem ser chamados de pastores, doutores, pais e amigos, mas estamos cada vez mais acostumados a ouvir o título de conselheiro. […] “Conselheiro bíblico”, porém, não é essencialmente uma ocupação profissional. Os pastores e conselheiros bíblicos “profissionais”, aqueles que possuem um treinamento especial e experiência em aplicar as Escrituras à vida, talvez tenham sido equipados por Deus de maneira singular para ajudar na solução de determinados problemas. Todavia, não são eles que satisfazem todas as necessidades de aconselhamento da igreja. 

A questão não é ter um diploma. A questão é conhecer e crescer em Jesus como Senhor e Redentor. Esta é a qualificação especial para os conselheiros bíblicos. Nossas ferramentas não consistem de habilidades e técnicas conhecidas por poucos; pelo contrário, as verdades do aconselhamento bíblico são de domínio público, elas estão disponíveis a todos. Como resultado, elas devem operar sempre que o povo de Deus está reunido. Por exemplo, você pode encontrá-las ativas em uma conversa corriqueira e piedosa entre pessoas que sabem que necessitam do Espírito de Deus e da ministração mútua para enfrentar mais um dia de vida.

Em vez de um modelo profissional, as Escrituras sugerem uma perspectiva diferente, algo que parece ser muito mais recíproco. “Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo” (Pv 27.17). Aconselhamento bíblico é este afiar mútuo que resulta na edificação uns dos outros. Aquele que está no papel de conselheiro necessita de aconselhamento tanto quanto os que se beneficiam do seu aconselhamento. Todos precisamos ser afiados. Na verdade, considerando os perigos deste mundo, nossos próprios pecados e Satanás, precisamos diariamente da exortação uns dos outros (Hb 3.13).

Esse afiar mútuo, é claro, tem sua raiz no amor. Não poderia ser diferente. Os conselheiros bíblicos estão firmados no amor de Jesus, estão crescendo no amor por Jesus e se alegram em amar outros no nome de Jesus. “Ora, o seu mandamento é este: que creiamos em o nome de seu Filho, Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o mandamento que nos ordenou” (1Jo 3.23). Onde quer que o aconselhamento aconteça — no escritório, no restaurante ou em casa — sua marca distintiva permanece. Todas as coisas são ditas e feitas em amor. O aconselhamento bíblico identifica-se mais com uma atmosfera familiar do que com a atmosfera árida de um consultório. Estes relacionamentos amorosos e familiares, quando em parceria com o conteúdo das Escrituras, devem facilitar a tarefa de fazer distinção entre o aconselhamento bíblico e aquilo que o mundo chama de aconselhamento.


Você encontra na íntegra o artigo Mas afinal, o que é o aconselhamento bíblico, por David Powlison,  no volume 2 de Coletâneas de Aconselhamento Bíblico, que pode ser adquirido na Livraria OPV.

CAB_post


Você quer aprender mais sobre como aconselhar biblicamente?

O Seminário Bíblico Palavra da Vida também oferece nos seus vários cursos matérias na área do aconselhamento bíblico.  No CLD (Curso de Liderança e Discipulado para pré-universitários), no Curso Teológico Ministerial, bem como no  CFTM (Centro de Formação Teológica e Ministerial), o aluno tem oportunidade de estudar os princípios bíblicos que orientam a vida cristã e são base para o crescimento pessoal e também para o discipulado e aconselhamento. Assuntos como passado, perdão, culpa, perspectiva de si mesmo, ansiedade e medo, depressão, relacionamentos interpessoais, solução de conflitos, e outros mais, são trabalhados biblicamente.

sbpv-50No CLD, o aluno pré-universitário recebe um treinamento intensivo em aconselhamento bíblico que o prepara para ajudar amigos e colegas na igreja local e no campus universitário. No CFTM, o Curso de Formação de Conselheiros trabalha em detalhes os fundamentos e a prática ministerial. Já no Curso Avançado de Ministério Cristão (um programa modular, adequado a padrões de mestrado lato sensu), o aluno tem oportunidade de preparar-se cursando matérias como Introdução ao aconselhamento bíblico, Problemas e procedimentos no aconselhamento bíblico, Avaliação de teorias do aconselhamento, Teologia bíblica da família Aconselhamento bíblico da família, Hermenêutica aplicada ao ministério. E o curso de Especialização em Aconselhamento Bíblico, um curso modular com duração de apenas um ano, tem como propósito dar uma capacitação básica para a atuação na igreja local e outros contextos ministeriais.

São diferentes oportunidades que você pode aproveitar dependendo da sua disponibilidade e do seu objetivo pessoal e ministerial. Para informações, visite o site do Seminário Bíblico Palavra da Vida.