Gloria Furman. Sem tempo para Deus

Intimidade com Cristo para mães atarefadas

Resenha por Bianca Bonassi Ribeiro

A maternidade à luz da eternidade
No livro “Sem tempo para Deus: intimidade com Cristo para mães atarefadas”, uma jovem e sábia mãe, Gloria Furman, presenteia-nos com um “ar fresco” dentre os livros para mães. Ela tem como propósito situar o dia a dia da maternidade no contexto da eternidade.

Furman é autora e co-autora de três outros livros[1] ainda não traduzidos para o português. Desde o início do livro, ela demonstra uma sólida teologia transmitida de forma simples e aplicada à maternidade.

A estrutura de “Sem tempo para Deus” segue em quatro partes. Logo na primeira, a autora faz uma introdução bastante convidativa: “Estampe a eternidade em meus olhos”. Furman demonstra que o trabalho simples, repetitivo e cansativo de uma mãe deve ser transformado pela perspectiva da eternidade.

Na segunda parte, a autora explica em quatro capítulos que a maternidade foi criada por Deus para que Ele seja glorificado, ou seja, a graça e misericórdia divinas são manifestas também na relação mãe e filho(s).

Na terceira e última parte do livro, Furman apresenta a maternidade como instrumento de adoração ao nosso Deus Criador. Os sete capítulos dessa parte final apontam a obra redentora de Cristo, na cruz, como elemento fundamental para ser constantemente lembrado, especialmente quando nós mães nos vemos frustradas, inseguras e fracas diante dos diversos dilemas corriqueiros ou profundos que permeiam o nosso dia a dia.

A conclusão, na quarta parte, é um encorajamento final que convida cada mãe leitora a fixar o olhar no horizonte da eternidade, percebendo que um dia os nossos filhos poderão se tornar nossos irmãos em Cristo.

O livro falou ao meu coração em diferentes trechos e em vários capítulos. Aqui compartilho alguns.

A boa notícia para todos os dias – “O ministério do Espírito Santo inclui alinhar nossas inseguranças subjetivas como mães com a realidade objetiva da nossa segurança eterna em Cristo.”  (p. 19)

Irmãs juntas para sempre – As mães e irmãs em Cristo devem espelhar a glória de Cristo em sua maternidade; por essa razão, cada uma de nós tem o seu “estilo” de criação de filhos que deve ser respeitado, desde que ele não fuja das verdades bíblicas. (p.  42 – 46)

Amnésia dos pais – Os nossos filhos crescem rápido e são muito mais do que adultos em potencial que um dia farão uma contribuição para a sociedade. Eles têm almas eternas e foram feitos à imagem de Deus. Cada momento com os nossos pequenos está cheio de significado eterno. (p. 52 – 55),

Sendo modelos de como “sempre precisamos da graça de Deus” – “Uma maneira de ensinar nossos filhos sobre a nossa necessidade da graça de Deus em Cristo é confessando adequadamente nosso pecado para eles.” Particularmente, sempre que peco contra Deus e meus filhos, procuro me dirigir a eles. Todos nós estamos em processo de santificação e precisamos da graça que só a cruz de Cristo pode dar. As crianças não precisam de uma “mãe perfeita”, e sim de um Deus perfeito. (p 67 – 69),

O fardo das decisões – As decisões diárias no contexto maternal são muitas e devemos buscar sabedoria na fonte, ou seja, na Palavra de Deus. Trata-se de estudar a Bíblia constantemente e não aleatoriamente, apenas quando estamos diante de uma decisão difícil. (p 98 – 100),

As boas-novas nos dias maus – “A maternidade é um trabalho desgastante fisicamente e que nos esgota emocionalmente.” A nossa confiança, portanto, deve estar em Cristo para que não nos tornemos frustradas. “Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Rm 4.16 NVI).  (p. 107 – 116)

Mesmo supermães precisam da graça de Deus – Todas nós queremos o título de supermãe, um reconhecimento não apenas de nossos filhos e marido, mas de outras pessoas. Esse sentimento e desejo pode dar abertura para um coração ansioso e/ou orgulhoso, mas o nosso foco deve estar em Jesus, que graciosamente nos capacita. (p. 123 – 126)

Mães são fracas, mas Ele é forte – O mundo prega que a maternidade é apenas para “as fortes”, porém somente as fracas reconhecem que precisam de Deus. “A dependência absoluta em Deus insulta o nosso orgulho”, enquanto Deus é exaltado em nossas fraquezas. (p. 131 – 140)

Gloria Furman foi muito feliz em contextualizar a maternidade como uma evidência do plano de Deus para proporcionar vida, apesar da maldição da morte. Trata-se de mais uma forma simbólica do plano triunfal de Deus. Além do mais, a autora foi muito sensível em lembrar, ao longo do livro, que a maternidade não é algo apenas biológico – ela também se manifesta pela adoção.

Realmente é um livro que toda mãe deveria ler.


Nos sites da Editora Fiel é possível ler trechos do livro:
Estampe a eternidade em meus olhos
Um propósito inesperado de Deus para a maternidade


Ficha Técnica
Autor: Gloria Furman
Título:  Sem tempo para Deus: intimidade com Cristo para mães atarefadas
Título original:  Treasuring Christ when your hands are full
Editora: Fiel
Páginas: 168
Data de publicação: 2015

Gloria Furman é esposa, mãe, obreira transcultural. É autora de vários livros e você pode conhecer mais a respeito de seu ministério no site Gloria Furman.

[1] The pastor’s wife; Word filled women’s ministry, e Glimpses of grace: treasuring the Gospel in your home, todos publicados pela Crossway Books.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s