Ação de graças: o ingrediente necessário para a pureza sexual

Tim Pasma

Vivemos em uma cultura intensamente sexualizada. Comerciais na televisão e no rádio, o currículo escolar e os sites de noticias, nossos vizinhos, todos parecem defender a autoexpressão e a sensualidade como o bem maior. Logo, você aconselha as pessoas, e também a si mesmo, a lutar contra a impureza e lascívia.

Você não tem dificuldade nenhuma em encontrar passagens bíblicas que tratam do tema, mas há uma passagem que se destaca por prescrever algo diferente contra a pureza. Em uma passagem que chama os crentes a se afastarem da impureza, encontramos essa prescrição: “Não haja obscenidade, nem conversas tolas, nem gracejos imorais que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ação de graças” (Ef 5.4). Que estranho! Deus parece estar dizendo que uma arma importante contra a tentação sexual é a ação de graças. Como pode ser isso?

Primeiro, entenda que um coração ingrato leva à impureza sexual. Pelo menos é isso que encontramos em Romanos 1.18-24. A ingratidão se concentra no que não temos (Nm 11.1-6). Apesar de ter tudo aquilo de que precisava, o povo de Deus, por causa da ingratidão, concentrava sua atenção no que não tinha e não na bondade presente de Deus. Por que seu amigo cometeu adultério? Uma razão é porque ele não era grato pela esposa que Deus lhe dera, desejando o que ele não tinha ao invés de ver a misericórdia divina ao dar-lhe a mulher que de que ele precisava. A ingratidão leva a uma visão errada nas dificuldades (Êx 14.10-11; 16.1-3). Nas dificuldades do deserto, Israel se queixou e atribui más intenções a Deus. A mesma coisa acontece conosco. É difícil viver a vida de solteiro e você pode ser tentado a pensar: “Por que Deus não me dá uma esposa? Que existência miserável!”. Com tal visão da providência de Deus nas dificuldades, você achará difícil resistir à tentação sexual. As Escrituras deixam claro que a impureza sexual cresce no solo da ingratidão.

Por outro lado, a ação de graças é o solo rico e profundo que produz o fruto da pureza e, portanto, você deve se esforçar para promovê-lo e cultivá-lo. Na região onde eu vivo, o solo é argiloso e não é naturalmente bom para o cultivo de frutos, ou pelo menos é o que minha esposa Becca afirma. Ela cresceu em uma fazenda no sudoeste de Iowa com solo fértil e arável. Então, ela trabalha duro para adubar a terra em volta da nossa casa, fazendo compostagem de folhas, grama, sobras dos alimentos, esterco de cavalo e qualquer coisa orgânica que possa mudar a natureza do solo e fazê-lo mais produtivo. O mesmo esforço é preciso para promover e cultivar a ação de graças se quisermos nos defender contra a tentação sexual.

Por onde começar? Você não será bem-sucedido simplesmente por dizer a si mesmo “O que está errado, seu ingrato miserável? Conte suas bençãos. Seja grato!” como se você pudesse produzir ação de graças por mera força de vontade. Se você quiser crescer em ação de graças, comece como o Salmista: “Tu és meu Deus; graças te darei! Ó meu Deus, eu te exaltarei. Deem graças ao Senhor, porque ele é bom; o seu amor dura para sempre!” (Sl 118.28, 29). O amor constante do Pai, um amor que permanece para sempre, é garantido pela morte de seu Filho, pelo sangue que ratificou essa nova aliança de amor duradouro. Quaisquer esforços para cultivar ações de graças falharão a menos que estejam firmemente ancorados à cruz.

Convencido do amor do Pai, o que você deve, então, fazer? Você deve lidar seriamente com tudo quanto impede a gratidão. Se o fazendeiro quer uma boa colheita, ele deve lidar com todos os impedimentos. Ele prepara o solo para plantar, nivelando o terreno e quebrando a terra endurecida. Durante o verão, ele precisa lidar com as ervas daninhas e os insetos. Ele deve se livrar de qualquer coisa que dificulte a produção. Por sua vez, você deve “quebrar” a ilusão de que ação de graças só cresce em circunstâncias favoráveis (1Ts 5.18; Dn 6.10). Você deve lidar com a inveja, dando-lhe um golpe mortal (Mt 20.1-16). A ingratidão geralmente começa com a inveja, que questiona a sabedoria e a bondade de Deus. Você também deve ter cuidado para que, enquanto ama o presente recebido, você não se esqueça do Doador (Dt 8.7-20).

Quando você aconselhar as pessoas (e aconselhar a si mesmo) na batalha contra a impureza e a imoralidade, nunca se esqueça de que a ação de graças desempenha uma parte essencial. Tenha cuidado para expor a ingratidão do coração e encorajar as pessoas a cultivar gratidão por causa de um Pai que as ama, não por elas serem pessoas gratas, mas por causa de Sua misericórdia em Jesus.



Original: Thanksgiving: Necessary Ingredient for Sexual Purity
Artigo publicado originalmente em ACBC.

Tradução: Carla Silva
Revisão: Conexão Conselho Bíblico