Lou Priolo. Resolução de conflitos

Uma compreensão bíblica e suas implicações para a dinâmica dos relacionamentos

A questão que temos diante de nós não é se teremos de lidar com conflitos na vida. A maioria de nós não só quer evita-los, mas faz de tudo para evita-los. Ainda assim, eles acontecem, em menor ou mais intensidade, em casa, no trabalho, na igreja ou no círculo de amigos. A questão principal, então, é como resolvê-los de forma bíblica, agradável diante de Deus. O livro de Lou Priolo é um recurso valioso para aprendermos a resolver os conflitos do dia a dia.

Estas são as palavras do Pr. Jayro Cáceres na introdução da edição brasileira.

A palavra conflito vem, em geral, acompanhada de um pensamento de algo que não é bom, algo que é nocivo, pernicioso, impróprio. Ela está intimamente associada a discussões indesejadas, desentendimentos, enfrentamentos, desconfortos, combates. Ela não está na lista de desejos da maioria de nós.

Um exame mais minucioso das Escrituras, porém, revela que conflitos sempre estiveram presentes na vida dos servos de Deus e por diferentes motivos. O conflito com Moisés, provocado por seus irmãos Miriã e Arão, teve motivos egoístas e arrogantes (Nm 12.1-8). Moisés administrou o conflito sabiamente, permanecendo em silêncio.

O profeta Jeremias foi objeto de terríveis ataques e não poucos enfrentamentos com aqueles que tinham a responsabilidade de conduzir a nação com retidão, levando-a à adoração exclusiva a Deus. Em todo o tempo ele enfrentou seus opositores relembrando-os da Palavra de Deus, denunciando os maus caminhos da nação e apontando para as más consequências de suas escolhas idólatras. Os motivos de Jeremias eram santos e estavam firmemente estabelecidos sobre o mandato que Deus lhe dera (Jr 1.4-10). Ele não abriu mão de ser fiel ao comissionamento que recebera do próprio Deus. Sua fidelidade ao Senhor significou ter que lidar com muitos conflitos.

Paulo e Barnabé tiveram um conflito por terem diferentes entendimentos acerca da decisão de levar ou não Marcos na segunda viagem missionária (At 15.36-41). Ambos estavam de acordo quanto à importância da viagem, mas divergiam quanto aos componentes da equipe que deveriam participar do projeto. O desentendimento os colocou em rumos diferentes. Em outro momento, o apóstolo Paulo confrontou Pedro por causa de sua dissimulação em Antioquia (Gl 2.11-14).

Quando nos detemos na vida do nosso Senhor Jesus Cristo nos evangelhos, é possível enumerar os muitos enfrentamentos que teve com os religiosos de seus dias, que sempre procuravam uma oportunidade para atribuir a Ele falta ou culpa para terem de que o acusar. Conflitavam com Jesus quando Ele curava os enfermos, quando perdoava pecados, quando comia com publicanos, enfim… O nosso Senhor, enquanto viveu entre nós, esteve envolvido em diversas situações conflituosas sem, contudo, pecar.

Neste livro, Lou Priolo oferece quatro pré-requisitos para os que almejam lidar biblicamente com os conflitos. Ele também classifica os conflitos em três categorias diferentes – os ocasionados apenas pelas diferenças pessoais, aqueles que não envolvem necessariamente um pecado, mas têm o potencial de produzir desentendimentos e calor; os provocados por algum pecado e que, portanto, requerem uma intervenção, isto é, uma firme a morosa confrontação, e aqueles que ocorrem por causa das interpretações a abordagens, os que surgem quando existe uma diferença de opinião sobre qual é a melhor conduta a se ter numa determinada situação ou circunstância – e oferece, à luz das Escrituras, três maneiras diferentes de lidar com eles.

Considerando que os conflitos são parte de nossa vida, uma vez que vivemos num mundo corrompido pelo pecado, este livro é uma contribuição preciosa para todos nós, pois aponta um caminho a seguir. Suas orientações estão profundamente enraizadas nas Escrituras.

Para os que estão envolvidos em conflitos, este livro é leitura obrigatória. Para os conselheiros que pretendem ser bíblicos e amorosos em seu ministério, é uma ferramenta tremendamente útil.


Conteúdo

PARTE UM
Pré-requisitos para a resolução de conflitos
1 Pré-requisito Um: Humildade
2 Pré-requisito Dois: Mansidão
3 Pré-requisito Três: Paciência
4 Pré-requisito Quatro: Tolerância amorosa

PARTE DOIS
Princípios bíblicos para a resolução de conflitos
5 Três tipos de conflito
6 O amor mantém a comunicação
7 Reagindo à repreensão
8 Chegando ao cerne do conflito
9 Reações não bíblicas ao conflito: questões internas
10 Reações não bíblicas ao conflito: questões externas
11 Perguntas para a resolução de conflitos
12 Você tirou as palavras da minha boca
13 Será que fomos longe demais?
14 O pré-requisito escondido

Apêndice A – Como usar o diário de conflito
Apêndice B – Conflitos com não crentes
Apêndice C – Alternativas bíblicas para termos comumente usados para descrever o pecado


Ficha Técnica

Autor: Lou Priolo
Título: Resolução de conflitos: Uma compreensão bíblica e suas implicações para a dinâmica dos relacionamentos
Título original: Resolving conflict: how to make, disturb, and keep peace
Editora: Nutra
Páginas: 376
Data de publicação: 2017

Lou Priolo graduou-se pelo Calvary Bible College e pela Liberty University. Autor de vários livros, conhecido conferencista, é atualmente diretor da área de aconselhamento bíblico da Eastwood Presbyterian Church na cidade de Montgomery, Alabama, onde também serve como presbítero. Além de ser professor no Birmingham Theological Seminary em Birmingham, Alabama, é membro da Association of Certified Biblical Counselors (ACBC)..