Aconselhando um mentiroso – Parte 2

Os desejos do coração

Joshua M. Greiner

Na parte 1 desta série, examinamos a metáfora do solo aplicada a uma pessoa que escolhe mentir. Assim como uma árvore precisa da mistura certa de elementos em seu solo para que ela possa crescer e florescer, o mesmo acontece com o coração.

Nosso coração necessita de um solo corretamente adubado para que se possa cultivar certas atitudes e comportamentos. Quando consideramos o solo do coração de um mentiroso, identificamos quatro elementos que costumam estar presentes:

(1) a valorização daquilo que Deus não valoriza,
(2) a falta de firmeza no julgar de acordo com o que a Palavra de Deus diz,
(3) a crença de que é possível escapar mentindo,
(4) o descuido no cultivo de atitudes e crenças corretas.

Nesta segunda parte da nossa série “Aconselhando um mentiroso”, daremos uma olhada mais profunda no que está acontecendo no coração da pessoa cuja escolha é mentir. No artigo final da série, veremos como responder à pessoa que mente e também como ajudar quando ela deseja se arrepender e mudar.

Os desejos do coração
Uma vez que já examinamos os elementos que podem estar presentes no solo de uma pessoa acostumada a mentir, consideraremos agora o que essa pessoa quer. Pela nossa própria natureza, todos nós temos desejos. Nós simplesmente queremos algo. Você não vai avante sem conscientemente querer algo. Todos nós nos comportamos dessa forma o tempo todo. Embora exista uma miríade de desejos que podem motivar um mentiroso, destacamos aqui os mais comuns: um possível desejo de se proteger, de ser elogiado e de fazer o que é cômodo.

O desejo de se proteger
Uma das razões mais comuns pelas quais as pessoas escolhem mentir é que elas estão procurando se proteger. Existem muitas derivações e diferentes cursos que esse desejo pode tomar, mas  os desejos mais comuns costuma ser dois.

O primeiro deles é que o mentiroso não quer ser visto por quem ele é. Ele tem um forte desejo de fazer aquilo que de fato quer e que planejou fazer, mas sabe que não deve se aventurar a tanto por uma razão ou outra. Talvez ele não esteja preparado para aquilo que quer fazer ou, ainda pior, talvez ele saiba que aquilo poderia causar danos a outra pessoa ou a ele mesmo, mas ele realmente querer a todo custo aquilo que quer. Por exemplo, um marido pode dizer à sua esposa que sabe construir um parquinho de diversão para as crianças quando, na realidade, ele nem sabe ligar a serra. A questão é que ele não quer que sua esposa saiba que ele não é capaz de fazer o que ela está pedindo ou o que ele está desejando fazer, e então ele escolhe mentir para proteger seu próprio orgulho. Você pode ser criativo com relação às consequências de uma mentira como essa, mas a maioria das vezes a história termina em uma Unidade de Pronto Atendimento.

O segundo é que o mentiro está respondendo ao medo. Geralmente, trata-se de temor do homem. Um exemplo desse desejo de proteção pode ser um marido que mente para sua esposa porque teme que ela fique zangada quando descobrir o quanto ele gastou em ingressos de jogos de futebol. Ele disse que cada ingresso custaria só R$ 90,00, mas ele acabou gastando R$ 300,00 por ingresso. Ele escolheu mentir para se proteger, porque teme a reação da esposa se ele decidir contar a verdade.

O desejo de ser elogiado
Nem todos os tipos de mentiras, porém, são motivados pela proteção. Existe outro tipo comum de desejo, que em muitos aspectos é semelhante ao desejo de proteção. É o desejo de ser elogiado pelos outros, de ter seu momento de glória. Esse desejo é muito parecido com o temor do homem. Muitos mentem porque querem que os outros pensem que eles são os melhores. Alguém que decide mentir por esse motivo pode, muitas vezes, enfeitar uma história – o peixe tinha realmente um metro de comprimento – ou acrescentar alguns detalhes e deixar de fora outros para que, quando ele contar a história, ele pareça um herói. A questão é que ele está querendo que os outros o vejam como alguém tão incrível e impressionante que merece destaque. Ele ama o prazer que vem do louvor dos outros e o deseja cada vez mais, mesmo que isso signifique desobedecer à Palavra de Deus.

O desejo de fazer o que é cômodo
Por último, embora seja o mais frequente, vemos que a decisão de mentir pode vir acompanhada pelo desejo de fazer o que é cômodo. A pessoa pode ter falhado em fazer algo ou simplesmente ela não querer fazer alguma coisa e decide mentir porque, em sua situação atual, esta é a saída mais fácil. Vemos isso claramente nas crianças pequenas, que nos dizem que limparam o quarto quando, na verdade, não o fizeram. Contudo, vemos isso também em adultos quando eles dizem que trabalharam em um projeto e fizeram tudo o que havia sido pedido, mas simplesmente não o fizeram. A preguiça, muitas vezes, anda de mãos dadas com essa característica. Aquilo que controla essa pessoa, aquilo que ela quer mais do que qualquer outra coisa, é a saída mais fácil, o que é mais cômodo, mais prazeroso. Como os demais desejos, vemos que esse desejo também penetra em outras áreas da vida, e não apenas no âmbito da mentira.

Conclusão
Podem existir muitas razões que levam alguém a mentir. O mentiroso pode querer fazer o que é mais cômodo, pode querer a proteção, os elogios ou qualquer outra coisa, mas o que liga tudo isso chama-se desejo. Existe sempre um desejo mais profundo por trás de tudo quanto fazemos. Seja bom, seja ruim, existe sempre um propósito para aquilo que queremos e fazemos, existe uma intenção, um alvo. Antes de poder ajudá-lo, caso ele queira mudar, é essencial ajudar o mentiroso a identificar qual é o desejo que está por trás da mentira. Se você não chegar ao cerne da questão, ali onde está o desejo central, você mesmo nunca será capaz de mudar, muito menos de ajudar alguém a mudar.

Na terceira parte de “Aconselhando um mentiroso”, veremos como você deve responder às mentiras e ao mentiroso. Quando você vê que alguém está lutando com o hábito de mentir, mas não confessa ser um mentiroso, como você age? É o que veremos juntamente com as soluções centradas no evangelho para que você possa ajudar uma pessoa que queira mudar nessa área.


Original: Counseling a Liar 2: Desires of the Heart
Publicado em Counseling with Confidence and Compassion

Joshua M Greiner é o pastor de Faith West Community Ministries, e faz parte da equipe ministerial de Faith Ministries desde 2010. É formado em ciências políticas pela Purdue University e fez seu mestrado no Faith Bible Seminary.