Quatro propósitos das Escrituras no aconselhamento

Brady Goodwin

Como os conselheiros bíblicos podem usar as Escrituras de acordo com o propósito de Deus em seu ministério? Apesar de encontrarmos muitas passagens nas quais Deus descreve o uso de Sua Palavra (veja, por exemplo, Salmo 19.7-11 e Salmo 119), uma dessas se destaca.

Em 2 Timóteo 3.16, lemos que “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça”.  Essa passagem fala muito sobre a fonte da Bíblia: ela vem de Deus. Encontrar Deus em Sua Palavra é ouvi-lo falar. Deus fala, e o que Ele fala é o conhecimento mais importante que alguém pode ter. Sua Palavra contém tudo de que precisamos para conhecê-lo corretamente e viver de maneira agradável a Ele por meio da fé em Jesus Cristo. Os conselheiros bíblicos esforçam-se para ir à Palavra de Deus e ajudar seus aconselhados a se apropriar de tais verdades a fim de que eles possam, por sua vez, glorificar a Deus.

No entanto, essa passagem também detalha quatro maneiras específicas de como a Bíblia é benéfica, ou útil, para nossa vida: ensino, repreensão, correção e instrução na justiça. Essas quatro utilidades das Escrituras dão aos conselheiros bíblicos um guia mais claro para ministrar a graça de Deus na vida de outras pessoas. Elas enfatizam a importância de que aquilo em que acreditamos seja a base para como vivemos, mostrando-nos onde o nosso foco ministerial deve estar ao ajudarmos outros. Juntos, esses quatro propósitos das Escrituras estabelecem objetivos claros para procurarmos ter uma vida que agrada a Deus.

1º Propósito: A Palavra de Deus nos ensina aquilo que é verdadeiro
Toda a Escritura é útil para nos ensinar a verdade: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino.” A Bíblia nos ensina verdades compreensíveis sobre Deus, sobre as pessoas, sobre o pecado e suas consequências, e sobre a esperança que está em Jesus Cristo. As Escrituras falam do caráter, do amor e da graça de Deus, e da alegria que temos ao seguir a Jesus em meio às dificuldades da vida enquanto esperamos por Sua volta. Tudo o que a Palavra de Deus diz é verdadeiro, tem autoridade e nisso devemos, portanto, crer, confiar, estimar e obedecer. Mesmo quando nos deparamos com questões com as quais ela não lida diretamente, a Bíblia nos equipa com um quadro preciso e completo para entender corretamente a vida do homem perante Deus. Em uma cultura repleta de diferentes verdades e narrativas alternativas sobre o entendimento de nossa vida, os conselheiros bíblicos instruem seus aconselhados com a Palavra de Deus a fim de que saibam e creiam na  verdade.

2º Propósito: A Palavra de Deus expõe as crenças erradas
A Palavra de Deus é útil para expor as crenças erradas que o aconselhado possa ter: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para […] a repreensão.” À medida que a lemos e refletimos em seu conteúdo, Deus releva áreas de nossa vida em que acreditamos em algo errado sobre Ele, sobre nós mesmos ou sobre como a esperança do evangelho aplica-se à nossa vida para a salvação e a santificação. Quando Paulo diz em 2 Timóteo 3.16 que a Escritura é útil “para a repreensão”, ele tem em mente que alguém seja confrontado devido às suas crenças erradas, de modo que as possa alinhar à verdade. Em resposta às crenças erradas que enredam o aconselhado, os conselheiros bíblicos usam as Escrituras para ajudá-los por meio de exortações em amor, a fim de que se arrependam, deixem de crer no que é falsos e se apropriem da verdade sobre Deus e Seu evangelho.

3º Propósito: A Palavra de Deus confronta o pecado em nossa vida
As Escrituras são úteis para confrontar nosso pecado: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil […] para a correção”. Enquanto o propósito anterior está relacionado com crenças falsas no nossa mente, “corrigir” refere-se a confrontar e corrigir comportamentos visíveis na vida de alguém. Repreensão e correção, nesse sentido, estão conectadas nas Escrituras: quando Deus usa Sua Palavra para expor alguma crença errada, Ele também confronta em nossa vida o pecado que é uma expressão de tal crença. Os conselheiros bíblicos buscam usar as Escrituras dessa maneira também. Eles não somente a usam para ajudar a resgatar seus aconselhados de sua crença errada, mas também para demonstrar como nossas ações refletem as verdadeiras crenças e motivações do nosso coração.

4º propósito: A Palavra de Deus nos equipa para viver em temor a Deus
As Escrituras são úteis para nos equipar com o que precisamos para uma vida de temor a Deus: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil […] para a instrução na justiça.” Esse propósito das Escrituras segue-se aos três primeiros. Por meio de Sua Palavra, Deus nos instrui no que é verdadeiro, expõe nossas falsas crenças e nos confronta em nosso pecado. A utilidade das Escrituras, porém, continua com referência não somente ao crescimento no conhecimento de Deus, mas na busca da piedade e de uma vida transformada. Deus usa Sua Palavra para nos treinar, ensinando-nos como é seguir a Jesus na vida diária a fim de que aprendamos a observar tudo o que Ele ordenou (Mt 28.20). Em meio à tentação para cairmos na omissão e na apatia, os conselheiros bíblicos ajudam seus aconselhados a seguir em direção ao objetivo de se tornarem mais parecidos com Cristo, de modo que não somente conheçam a verdade, mas também reflitam essa verdade em seu viver.

Quatro propósitos, um resultado
Esses quatro propósitos das Escrituram unem-se para produzir o resultado pretendido: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2Tm 3.16, 17, ênfase adicionada). O uso da Palavra de Deus no aconselhamento tem por propósito produzir a maturidade e piedade na vida de outras pessoas. Pela graça e ajuda de Deus, aqueles a quem aconselhamos irão um dia aconselhar, discipular e cuidar de outros. Esse resultado reflete o que Paulo mesmo escreveu anteriormente em sua carta a Timóteo: “E as coisas que me ouviu dizer […] confie a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros” (2Tm 2.2). Deus nos diz em Sua Palavra para instruir, repreender, confrontar e treinar outros a fim de que aqueles a quem aconselhamos gerem frutos e venham a discipular outros para a glória de Deus.

Perguntas para reflexão
Como esse artigo ajudou a esclarecer os propósitos das Escrituras em seu ministério de aconselhamento?
Quais outros propósitos das Escrituras, além desses quatro mencionados em 2 Timóteo 3.16, você identificaria em outros textos bíblicos?
Como esses propósitos adicionais o ajudariam ao ministrar a verdade de Deus a outros?

Brady Goodwin atua como pastor de aconselhamento na The Village Church in Dallas, Texas. É formado pelo Dallas Theological Seminary (Th.M.) e depois pelo Southern Baptist Theological Seminary, onde cursou o doutorado em aconselhamento bíblico.

Original: Four Purposes of Scripture When Counseling Others
Artigo publicado pela Biblical Counseling Coalition. Traduzido com autorização.
Tradução: Camilla Rezende Bastos
Revisão e adaptação: Conexão Conselho Bíblico