A língua: como conter o fogo (Parte 3)

Mark Dutton

Já vimos que controlar a língua é um verdadeiro teste de nossa espiritualidade. Como você se saiu no teste nas últimas semanas ou nos últimos dias? Nossas palavras revelam o coração e, às vezes, nossas palavras revelam um coração que não é agradável a Deus. Temos que reconhecer os usos destrutivos da língua e evitar o pecado contra Deus e os outros. A língua, embora esteja sujeita à maldição do pecado, não é inerentemente má. Ela pode ser usada para glorificar a Deus e edificar as pessoas ou pode ser usada para amaldiçoar a Deus e destruir as pessoas.

Nunca perca de vista aquilo que Tiago escreveu
De forma bastante ilustrativa, Tiago mostra algumas consequências muito destrutivas de não controlar a língua. Tiago 3.6 diz: “Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno”.

Kent Hughes, em Disciplinas do Homem Cristão, fez uma declaração muito verdadeira que deve receber toda nossa atenção: “A língua sem controle tem uma linha direta para o inferno! Abastecida pelo inferno, ela queima nossas vidas com fogos imundos”. Tiago 3.10 é claro: “Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, não pode ser assim!”. No entanto, ainda há esperança de mudança.

O primeiro passo para solucionar um problema é perceber que temos o problema. O passo seguinte é aplicar o princípio de 1João 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça”. E depois de me arrepender e confessar o meu pecado, o que devo fazer? Em que consiste este processo de crescimento diário?

Princípio n.3: Substitua a língua destrutiva pela língua controlada
Para mudar, é preciso despir-se dos hábitos pecaminosos (usos destrutivos da língua) e, em seguida, revestir-se de uma vida orientada pelos princípios da Palavra de Deus, permitindo que a verdade bíblica controle os pensamentos e ações em lugar dos sentimentos e pensamentos manchados pelo pecado. Sendo assim, a pergunta é: Como uma pessoa muda e cresce no uso de sua língua?

Revestir-se — O poder da proclamação
Se estivéssemos mais preocupados com a proclamação do Evangelho, teríamos muito menos tempo para sermos críticos e ficarmos exasperados com as circunstâncias e as pessoas. Paulo escreveu um verso muito desafiador, mas também muito encorajador em Romanos 1.16: “Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego”. Se estivéssemos mais preocupados com a proclamação do Evangelho, teríamos muito menos tempo para críticas e exasperação.

Temos a responsabilidade e o privilégio de espalhar as boas novas da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo. Paulo deixou isso claro em 2Coríntios 5.20: “Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus”. Você sabe por que algumas pessoas são tão críticas? É porque elas olham para a vida através de seus olhos, e não pelos olhos de Cristo. Eles não pensam e vivem de forma centrada na Cruz. A língua deve ser usada para proclamar a história mais maravilhosa sobre a Pessoa mais maravilhosa! Se praticarmos isso diariamente, aprenderemos a controlar o fogo destruidor da língua e seremos menos propensos a pecar com nossa língua.

Revestir-se — O poder da adoração
Pela graça de Deus, temos a capacidade de atribuir a Deus a adoração que Lhe é devida por Seu caráter (quem Ele é) e Suas obras (aquilo que Ele fez, faz e fará). Aqui estão alguns versículos para você pensar:

Salmo 51.15  “Ó Senhor, dá palavras aos meus lábios, e a minha boca anunciará o teu louvor.”
Salmo 63.3  “O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão.”
Hebreus 13.15  “Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome.”
Tiago 3.10  “Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, não pode ser assim!”

Lembre-se deste princípio: cada resposta à tentação é um ato de adoração. Este princípio também se aplica ao uso da nossa língua e à tentação de fofocar, caluniar, murmurar, ser crítico ou menosprezar as pessoas. Se louvarmos e adorarmos consistentemente ao Senhor, não precisaremos pedir perdão com tanta frequência pelo pecado com nossa língua, pois aprenderemos a conter o fogo!

Na parte 4, veremos alguns passos úteis para controlar a língua.

Fonte: Faith Church Blog
Original: The tongue: how to discipline a fire (Part 3)
Tradução: Conexão Conselho Bíblico

Posts relacionados:
Língua: Como conter o fogo (Parte 1)
Língua: Como conter o fogo (Parte 2)
Língua: Como conter o fogo (Parte 4)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s