A memorização das Escrituras e o aconselhamento bíblico

Greg Wetterlin

Como pastor e conselheiro relativamente jovem – quase dois anos como pastor e três anos e meio como conselheiro bíblico – tenho me convencido cada vez mais de que memorizar as Escrituras é uma disciplina espiritual essencial.

Destaco aqui seis razões pelas quais memorizar as Escrituras é muito importante no aconselhamento e na própria caminhada do conselheiro com Cristo.

1- Memorizar está na Palavra de Deus
Lembro-me de acreditar exatamente no oposto disso quando estava no ensino médio. Gostava muito de ler e estudar a Palavra de Deus. Na verdade, eu conseguia me lembrar muito bem da Palavra de Deus, mas não achava que memorizar as Escrituras fosse tão importante. Minha desculpa era: “Não existe este mandamento”. Por um lado, isso pode estar tecnicamente correto, mas considere um versículo como Salmo 119.11, por exemplo, que diz: “Guardo a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti”. Esse versículo não fala explicitamente em “memorizar”. Deixe-me, porém, fazer uma pergunta: o que significa armazenar a palavra de Deus em seu coração? Você pode dizer honestamente que está armazenado a palavra de Deus se não consegue se lembrar dela sem abrir sua Bíblia?

Considere também o Salmo 1, que diz que o homem que tem “prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite” é abençoado. Para realmente mediar na lei de Deus de dia e de noite, eu diria que você tem que conhecê-la bem o suficiente para lembrá-la a qualquer momento. Em outras palavras, eu diria que você tem que memorizá-la!

Existem tantos outros versículos bíblicos que poderíamos citar, mas considere o exemplo de Jesus. Em Mateus 4, quando foi tentado, Jesus citou as Escrituras diante de cada tentação. Se Jesus, a segunda pessoa da Trindade, conhecia de memória as Escrituras e as citou para evitar ceder à tentação, o que isso indica sobre a nossa necessidade de memorizar as Escrituras para quando enfrentarmos a tentação?

2- Memorizar leva-nos a entender a Palavra de Deus
Uma segunda razão pela qual a memorização é importante é por que ela o ajuda a entender as Escrituras. Pense em seus dias na aula de matemática. Quando havia aquelas equações que você precisava memorizar, mas não entendia cada componente da equação, era difícil ou fácil de memorizar? Para mim, era impossível memorizar! As tentativas de memorizar aquelas equações revelava se eu as entendia ou não e, caso não as entendesse, eu teria mais trabalho pela frente antes de conseguir memorizá-las. Memorizar depois de entender era fácil, porque eu poderia traçar o caminho lógico para reproduzi-la de memória.

Descobri que o processo de memorizar a Palavra de Deus é algo bem parecido. Posso ler um texto na Bíblia e pensar que o entendi, mas até que eu reserve um tempo para memorizá-lo e pensar na lógica do texto, não vou saber com certeza se realmente o entendi ou não. Se consigo memorizar as Escrituras é porque entendi a lógica da passagem e como cada versículo e frase se encaixam. Dessa forma, a memorização torna-se mais fácil. Descobri que quando estudo uma passagem para pregar ou ensinar, geralmente memorizo a passagem sem nem mesmo tentar fazê-lo. Isso acontece porque passei tanto tempo procurando entender como as frases se encaixam uma após a outra que posso reproduzi-las sem esforço.

3- Memorizar ajuda-nos a cultivar o prazer na Palavra de Deus
Uma das batalhas que todo aconselhado deve travar – ou melhor, todo crente – tem a ver com aquilo em que tem prazer. O Salmo 119.15, 16, na versão Século 21, diz: “Medito em teus preceitos e observo teus caminhos. Terei prazer nos teus decretos; não me esquecerei da tua palavra“. As pessoas, normalmente, não procuram aconselhamento porque se agradaram dos preceitos do Senhor e não os esqueceram. Como resultado, seu caminhar não firme. Elas precisa, portanto, cultivar prazer nos caminhos de Deus, que é revelado nas Escrituras.

A memorização das Escrituras costuma ser um grande desafio para os aconselhados. Já ouvi desculpas de todos os tipos, dadas pelos aconselhados para justificar a falta de memorização das Escrituras. Entretanto, no final do dia, o problema de 99,99% deles, e meu também, é uma questão do coração. Eles não tinham prazer na Palavra de Deus e memorizá-la era uma luta. Uma vez que eles decidiram se esforçar e cultivar prazer na Palavra de Deus, a memorização se tornou muito mais fácil e agradável! Eu mesmo uso a memorização como um termômetro do meu prazer na Palavra de Deus, assim como faço com meus aconselhados.

4- Memorizar ajuda-nos a aplicar a Palavra de Deus
Todos aqueles que têm o alvo de se tornar mais parecidos com  Cristo devem se preocupar em aplicar a Palavra de Deus mais e mais rapidamente. A memorização é uma forma fantástica de ajudar na aplicação. Memorizar as Escrituras ajuda-o, como diz Filipenses 4.8, para que seja a Palavra de Deus “[…] o que ocupe o pensamento”. A memorização ajuda a pensar nos textos bíblicos e meditar sobre eles.

Depois de realmente memorizar e meditar sobre uma passagem das Escritura, o que acontece é que passo a ver a vida por meio dessa passagem. Por exemplo, conversei com uma amiga que memorizou 1Pedro no ano passado, e me dei conta de todas as suas palavras, pensamentos e ações estavam sendo processados e conectados a 1Pedro. Ela estava sendo capaz de identificar como aplicar 1Pedro em todas as situações de vida e de maneira que não teria acontecido se ela apenas tivesse lido o texto bíblico.

5- Memorizar ajuda-nos a aconselhar, encorajar e corrigir outras pessoas
Tenho uma memória incrível quando se trata de citações de filmes e programas de TV. Lembro-me de detalhes como se os tivesse visto ontem, embora eu possa ter assistido àquele programa ou filme anos atrás. Essas citações que foram guardadas no fundo da minha mente surgem em minhas conversas diárias sempre que uma situação me lembra de uma delas em particular.

Creio que assim como as citações de filmes e de programas de TV surgem na minha mente ao longo do dia, as Escrituras devem surgir na minha mente. Se eu tiver prazer na Palavra de Deus e a guardar em meu coração, quando eu vir algo que é digno de louvor, aquilo deve trazer à minha mente versículos de  louvor a Deus (p. ex. Sl 119.13); quando eu for tentado a explodir irado, eu devo me lembrar de versículos sobre ser lento para se irar (p. ex. Tg 1.19), e assim por diante.

Se você for capaz de se lembrar de versículos adequados à circunstância, você poderá falar algo adequado e transmitir graça às pessoas com que ouvem nas diversas  ocasiões (cf. Ef 4.28; Pv 25.11). Não creio que isso possa acontecer sem memorização e armazenamento da Palavra de Deus em seu coração. É preciso esforço e leva tempo. Isso pode significar para mim, e talvez você também, dedicar menos tempo aos filme e à TV, e mais tempo para estudar e memorizar a Palavra de Deus.

6- Memorizar leva-nos para além de marcações numa lista de tarefas
Admito que este último motivo precisa de alguma explicação a mais. Você pode estar pensando que memorizo as Escrituras apenas para marcar como concluído em uma lista de tarefas. Preciso explicar. Se eu já memorizei um texto bíblico – o que significa que posso repetir suas palavras com precisão e sem consultar a Bíblia – e esses versículos não estão voltando na minha mente durante o meu dia quando surgem oportunidades de aplicação, então é provável que eu não tenha ainda chegado à completa memorização. Sim, guardei as palavras na memória, mas penso que não cheguei ainda ao ponto em que essas palavras são “minha própria vida” (cf. Dt 32.47).

Pela aplicação diária, sei quando realmente memorizei um texto bíblico de forma a provocar uma mudança em mim ou quando eu memorizei um texto apenas para marcar como tarefas concluída em uma lista. Esse é um teste também para as pessoas que você aconselha, para ver se de fato entenderam e memorizaram a Palavra de Deus.

Conclusão
Se você ou seus aconselhados estão lutando para memorizar as Escrituras de forma que o ajude a entender o texto, cultivar prazer na Palavra de Deus, aplicar a Palavra de Deus e também aconselhar outros, então eu o encorajo a considerar as seguintes etapas:
Ore -o Salmo 119.18: “Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei”.
Repasse diariamente o que você está memorizando , e repasse várias vezes.
Faça um diário no final do dia, passando cada situação pelas lentes dos textos que você tem memorizado.
Procure diariamente pelo menos uma maneira de trazer à tona o que está memorizando nas suas conversas.
Persevere!


Greg Wetterlin é pastor do ministério com homens na Faith Church, em Lafayette.



Original: 6 Reasons to Emphasize Scripture Memory
Publicado em Counseling with Confidence and Compassion – Faith Biblical Counseling
Tradução: Carla Silva
Revisão e adaptação: Conexão Conselho Bíblico